Clique e assine por apenas 5,90/mês

Ex-advogado de mulher que acusou Neymar diz que ela mentiu

Escritório rescindiu contrato com a cliente alegando que ela tinha dito ser vítima de agressão, e não de estupro

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 4 jun 2019, 15h23 - Publicado em 4 jun 2019, 09h44

Um documento do escritório de advocacia que atendia a mulher que acusou Neymar de estupro aponta que a suposta vítima mentiu ao registrar a queixa na polícia.

Segundo reportagem do Jornal Nacional, o escritório Fernandes e Abreu Advogados decidiu rescindir contrato com a antiga cliente depois que se deu conta que a mulher registrou a ocorrência “em desacordo com a realidade”.

“No dia 31 de maio, vossa senhoria registrou um boletim de ocorrência no qual capitulou o fato ocorrido como ‘estupro’, ou seja, alegação totalmente dissociada dos fatos descritos por você aos nossos sócios”, diz o documento ao qual o Jornal Nacional teve acesso.

“Vossa senhoria sempre afirmou que a relação mantida com Neymar Jr. foi consensual, mas que durante o ato, ele havia se tornado uma pessoa violenta, agredindo-a, sendo esse o fato típico central (agressão) pelo qual ele deveria ser responsabilizado cível e criminalmente.”

Ainda de acordo com o documento, o advogado afirma que a mulher teria agido por raiva ou vingança.

“Por raiva ou vingança, vossa senhoria relatou no BO fatos descritos em desacordo com a realidade manifestada aos seus patronos”, afirma no texto. “Ou seja, compareceu à delegacia relatando que teria sido vítima de estupro, quando, na realidade que nos foi demonstrada e ratificada várias vezes, vossa senhoria teria sido vítima de agressões.”

Desde que a notícia se espalhou, Neymar tem se defendido das acusações. No sábado (1º), o atacante chegou a postar um vídeo de sete minutos no Instagram negando tudo e afirmando ser vítima de extorsão. Na gravação, expôs também o que seriam as conversas de WhatsApp que mantinha com a mulher.

Na troca de mensagens, havia fotos íntimas da suposta vítima, reveladas por Neymar aos seus seguidores. A Polícia Civil começou a investigar o jogador depois de ele ter publicado essas fotos.

Continua após a publicidade
Publicidade