Clique e assine por apenas 6,90/mês

Deputados Douglas Garcia e Gil Diniz são afastados de funções na Alesp

Decisão foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (30)

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 30 Jun 2020, 14h11 - Publicado em 30 Jun 2020, 14h05

O presidente da Alesp, Cauê Macris, determinou o afastamento dos deputados Douglas Garcia e Gil Diniz, do PSL, em decisão publicada no Diário Oficial desta terça-feira (30).

De acordo com o texto, a ação ocorre após o PSL ter comunicado a suspensão partidária dos parlamentares do partido pelo prazo de 12 meses, protocolada no dia 28 de maio.

A dupla não perde o mandato com a medida. As restrições são para assumirem funções de liderança no PSL, e também participar da escolha de líderes do partido. Podem ainda votar nas sessões plenárias. Ficam restringidos também de participar de comissões permanentes e temporárias da Alesp e do Conselho de Defesa das Prerrogativas Parlamentares.

A decisão ocorre após o gabinete do deputado Douglas Garcia ter sido alvo do inquérito das fake news, conduzido pelo ministro do STF Alexandre de Moraes: o chefe de gabinete de Garcia, Edson Salomão, é investigado por supostamente usar a estrutura parlamentar para coordenar ataques contra ministros do STF nas redes sociais. Gil Diniz é objeto de investigação do mesmo inquérito

Continua após a publicidade

Pelo Twitter, eles se pronunciaram sobre o caso. Gil Diniz escreveu: “Essa suspensão dos nossos mandatos na Alesp, só deixa claro o quão arcaico é nosso sistema partidário! Não recebi um único voto por pertencer ao PSL, o povo de SP me confiou o mandato sabendo que eu seria leal aos valores defendidos pelo Presidente Bolsonaro e não a Júnior Bozella [presidente estadual do PSL]”.

Douglas Garcia disse: “Estou utilizando todos os meios legais para reverter a decisão é fazer com que a representatividade da parcela da população que confiou o voto a mim seja preservada”.

+ OUÇA O PODCAST #SPSONHA

Publicidade