Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Doria volta a negar reajuste das tarifas de ônibus

Após notícia de que aumentaria o preço das passagens, o prefeito eleito afirmou que estuda alternativas para cobrir a inflação

Por Veja São Paulo Atualizado em 27 dez 2016, 14h47 - Publicado em 18 nov 2016, 13h38

De acordo com matéria publicada nesta sexta (18) pelo jornal Folha de S. Paulo, o prefeito eleito João Doria (PSDB) estaria trabalhando para promover reajustes “parciais” nas tarifas de transporte público, que passariam a ter um valor intermediário entre os atuais 3,80 e os projetados 4,40 reais. Procurada pela Veja São Paulo, a equipe de Doria negou que o empresário estaria estudando o aumento.

+ Dez metas para a prefeitura: as mudanças da gestão de João Doria

A suposta elevação de valor contraria a promessa do prefeito eleito de que não haveria reajuste no primeiro ano de mandato, feita no dia 3 de outubro, logo após a vitória nas urnas. Questionado por jornalistas a respeito dos outros anos de governo, Doria mudou o discurso: “Uma coisa de cada vez”. 

Em nota, a assessoria de João Doria negou a possibilidade de reajuste e afirmou: “O que existe é um esforço na busca de fontes alternativas de recursos para cobrir não só os R$ 500 milhões referentes à inflação de 2016, mas também os R$ 750 milhões decorrentes das gratuidades definidas pela gestão atual.”

Transição

O orçamento proposto pela equipe do atual prefeito Fernando Haddad (PT) para 2017 é de 51,3 bilhões de reais, valor com queda de 5,6% em relação ao montante de 2016. Apesar disso, Doria afirmou: “Vamos utilizar boa gestão financeira e ampliar a quantidade de recursos”.

Continua após a publicidade
Publicidade