Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Doria afirma que caso situação nas cidades piore, restrições voltam

Governador falou mais sobre o plano de flexibilização da quarentena

Por Redação VEJA São Paulo 27 Maio 2020, 19h53

Durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira (27), o governador João Doria divulgou um plano para a flexibilização gradual do isolamento social no estado de São Paulo. A medida irá dividir as áreas do estado em cinco tipos diferentes de classificações, que dependo da gravidade da pandemia da Covid-19, poderão reabrir comércios e outros tipos de atividades.

A medida começa a ser implementada no dia 1º de junho. A capital paulista ficou na Fase 2 do projeto, o que permite a abertura com limitações de shoppings e outros tipos de comércio. Em entrevista à CNN Brasil Doria deu mais detalhes sobre o plano, e falou sobre a possibilidade do número de casos e óbitos aumentarem além do esperado em uma região que entrar em alguma fase de flexibilização.

“Se houver riscos e aumentarem casos de óbitos e isso for constatado, seja pela secretaria municipal de Saúde, seja pelo estado, volta para o estágio restritivo”, afirmou o governador. “Isso é feito num prazo de quatorze dias. Nós estamos tendo cuidado de não avaliar isso por um ou dois dias, mas essa avaliação será permanente, e é exatamente esse cuidado que nós teremos”.

+ Assine a Vejinha a partir de 6,90

Na situação atual, o máximo de flexibilização que o estado terá deve ocorrer na região de municípios como Bauru, Barretos e Presidente Prudente, que foram colocados na Fase 3 do plano: academias, teatros e eventos com aglomeração continuam proibidos. Mas bares, comércios de rua, salões de beleza e shopping centers podem operar com horários e capacidade reduzida.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade