Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Disputa entre a família Liberato e viúva de Gugu ganha novo capítulo

Advogados de Rose Miriam afirmam que Aparecida Liberato pede expulsão do irmão da ex-companheira de Gugu da casa da família em Orlando

Por Redação VEJA São Paulo 28 jan 2020, 13h22

A disputa entre a viúva Rose Miriam di Matteo e a irmã de Gugu Liberato, Aparecida, teve outro capítulo nesta segunda-feira (27). O escritório de advocacia Nelson Willians, que representa Rose, e a assessoria de imprensa dos Liberato divulgaram versões diferentes sobre uma mesma história: a expulsão de Gianfracesco di Matteo, irmão de Rose, da casa da família em Orlando, na Flórida.

“Aparecida Liberato contratou um escritório americano para expulsar (Gianfracesco)”, afirma nota divulgada pela defesa de Rose. “Nesta segunda, ele recebeu um comunicado dos advogados americanos de Cida Liberato, dizendo que deve deixar a casa.”

Segundo os advogados de Rose, foi dado um prazo de quinze dias para di Matteo sair do local. A assessoria da família Liberato, no entanto, conta que a expulsão do tio dos filhos de Gugu foi um pedido de João Liberato, primogênito do apresentador.

A assessoria afirmou que há mais de sessenta dias di Matteo está na residência, e inicialmente ocupava o quarto do falecido Gugu, o que gerou conflitos entre os parentes. João teria conseguido convencer o tio a se mudar para o quarto de Rose, onde ele estaria até hoje. “Eles perderam o pai e eles não conseguem se relacionar com a mãe porque está blindada de pessoas que estão preocupadas com outras coisas”, disse a assessoria.

O escritório que representa Rose afirmou que irá “pleitear o imediato afastamento de Cida Liberato como inventariante, por total conflito de interesses com Rose e até demais herdeiros”.

Na semana passada, uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que Rose deve receber uma pensão de 100 000 reais por mês do espólio do apresentador. Em dezembro, ela pediu reconhecimento de união estável com Gugu: eles não eram casados, e a médica ficou de fora do testamento assinado em 2011.

Continua após a publicidade

Publicidade