Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Exclusão de cobertura lidera processos contra planos de saúde

O levantamento é do Observatório da Judicialização da Saúde Suplementar, do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP

Por Ana Luiza Cardoso 15 ago 2017, 11h19

Entre janeiro e julho de 2017, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP ) julgou um total de 17 114 ações contra planos de saúde. Esse número é o maior já registrado desde 2011 – período rastreado pelo Observatório da Judicialização da Saúde Suplementar, do Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP.

“Temos produtos de pior qualidade do mercado, aumento de práticas abusivas por parte dos planos e falta de fiscalização da Agência Nacional de Saúde Suplementar”, diz o professor Mário Scheffer, quem coordena o estudo.

O levantamento também aponta que o número de decisões judiciais cresce em ritmo mais acelerado do que a evolução da população atendida pelos planos. Desde 2014, a quantidade de usuários está em queda devido à crise econômica e ao desemprego, diz o relatório. Em março de 2017 foram registradas 17 539 718 pessoas com planos de saúde no Estado de São Paulo, número abaixo das 17 544 330 pessoas de março de 2011.

Baseado em 4 000 registros colhidos na capital paulista entre 2013 e 2014, o relatório aponta os principais motivos que têm levado os usuários aos tribunais:

Continua após a publicidade

  1. Exclusão de cobertura – 44%
  2. Valor de mensalidade para idosos e manutenção do aposentado no contrato coletivo – 27%
  3. Reajustes por sinistralidade e uso, e por mudança de faixa etária – 17%
  4. Rescisão unilateral do contrato pela operadora – 5%
  5. Outros (descredenciamento de prestadores, reembolso, manutenção de demitido no contrato coletivo, manutenção de dependente após falecimento do titular e migração e rescisão de contratos) – 7,5%

“A minha intuição é que vai aumentar ações por causa de reajustes, mas cobertura sempre foi o maior problema”, pontua. “Os motivos podem mudar ao longo do tempo”, diz Scheffer.

Os dados mostram também que, nesse mesmo recorte, em 92,4% dos acórdãos foi dada razão ao usuário.

Quanto aos procedimentos e atendimentos mais negados por planos de saúde estão as cirurgias (34,3%), as internações, inclusive em UTI (15,3%) e tratamentos para câncer (13,5%).

Outro ponto destacado pelo relatório foi que, entre  2011 e 2016, o TJSP julgou, em segunda instância, mais causas envolvendo planos de saúde (63 238 decisões) do que pretensões relacionadas ao Sistema Único de Saúde (49 959 decisões), que atende toda a população do Estado de São Paulo, de cerca de 48,5 milhões de habitantes, e é responsável pela maior parte dos itens de alta complexidade e por toda a assistência farmacêutica, principal componente de ações judiciais contra o sistema público .

A pesquisa tem como fonte principal o portal e-SAJ (Sistema de Automação da Justiça) do TJSP, que permite consultas sobre a tramitação de processos. Foram acessadas informações tanto das decisões proferidas em 1ª instância (Consulta de Julgados de 1º Grau) quanto em 2ª instância (Consulta de Jurisprudência).

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)