Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Juiz suspende pesquisa do Datafolha a pedido de Russomanno; Instituto vê censura

Diretor afirmou que estão sendo utilizados nessas eleições as mesmas variáveis que ditam há 35 anos o monitoramento dos pleitos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 10 nov 2020, 15h30 - Publicado em 10 nov 2020, 15h31

O juiz eleitoral Marco Antonio Martin Vargas suspendeu a publicação da pesquisa do Datafolha sobre a intenção de votos nos prefeitos de São Paulo. Ela foi feita pelo jornal Folha de S. Paulo junto com TV Globo. Ação veio depois de um pedido da coligação do candidato Celso Russomanno, do Republicanos. O Datafolha irá recorrer contra a decisão.

“Ao que parece a pesquisa eleitoral ora impugnada está em desacordo com a legislação e a jurisprudência eleitoral”, diz a decisão que é de caráter provisório. 

Marco Vargas apontou alguns aspectos que não estariam em conformidade com a lei. Entre eles aparecem a ausência de ponderação dos entrevistados em relação ao nível econômico e também a simulação tendenciosa de segundo turno. Não há simulações sem a presença de Bruno Covas, do PSDB, candidato à reeleição. 

O diretor de pesquisas do Datafolha, Alessandro Janoni, afirmou que o instituto está utilizando nessas eleições as mesmas variáveis de planejamento amostral e ponderação que dita há 35 anos o monitoramento dos pleitos da cidade de São Paulo

Janoni acredita que essa censura é uma ação antidemocrática. “Causa espanto e é preocupante um pedido de impugnação da divulgação justamente agora quando o candidato que solicita a censura apresenta queda nas intenções de voto. É um ataque ao direito do eleitor de se informar, uma ação antidemocrática”.

Corrida eleitoral

Segundo a pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (9), o atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), segue na liderança nas pesquisas para a prefeitura de São Paulo. O levantamento, divulgado pela TV Globo e o jornal O Estado de S. Paulo, aponta que o tucano tem 32% das intenções de voto.

O segundo lugar tem empate entre três candidatos. Guilherme Boulos (PSOL) tem 13%, Celso Russomanno (Republicanos), 12% e Márcio França (PSB), 10%. Com a margem de erro de três pontos para mais ou para menos, o trio está tecnicamente empatado.

Covas cresceu de 26% do último levantamento e se isolou em primeiro, com 32%. Russomanno apresentou movimento reverso, indo de 20% para os atuais 12%.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade