Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Com contas em dia, família está há dias sem energia elétrica em casa no Jaguaré

Moradores tiveram que se mudar temporariamente por causa dos transtornos gerados pela falta de luz

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 10 out 2020, 16h01 - Publicado em 10 out 2020, 15h35

Uma família do Jaguaré, na Zona Oeste da capital, ficou sem energia elétrica em casa durante dois dias. Cássio Silva Mazzo, de 30 anos, afirma que não tem débitos em aberto com a Enel, responsável pelo fornecimento da energia na cidade. Em toda a vizinhança, apenas a casa dele, onde mora com a mãe, duas irmãs e a avó, passa pelo problema.   

“A energia caiu na quinta-feira à tarde. A gente achou que o problema fosse geral, mas verificamos que só a nossa casa estava sem luz. Quando contatamos a Enel, nos disseram que a energia voltaria às 8h do dia seguinte, mas até agora nada [após reportagem de VEJA São Paulo, a energia foi restabelecida]”, relata Cássio, que chegou a procurar a polícia. “Eles pediram para a gente registrar um B.O, mas o que isso resolve?”

Cássio enviou à reportagem as contas de energia dos últimos dois meses e os comprovantes de pagamento, que não serão divulgados para preservação dos dados. A fatura de agosto, no valor de R$ 208,03, foi paga em 3 de setembro e a conta de setembro, no valor de R$ 202,66, foi quitada em 6 de outubro.

A família perdeu boa parte dos alimentos que armazenava na geladeira. “Todas as carnes estragaram. E meu tio, que mantém um freezer industrial aqui em casa porque tem uma transportadora, também está com alimentos estragando”, afirma.

A geladeira da família: camada de gelo do freezer derretida Arquivo Pessoal/Veja SP
O freezer industrial: prejuízo com perda de alimentos Arquivo Pessoal/Veja SP

As atividades rotineiras também foram bruscamente afetadas. Em home office por causa da pandemia do coronavírus, ele teve que se deslocar até o escritório, na Avenida Paulista, para poder trabalhar. A mãe, que é bancária, perdeu um dia de trabalho e as irmãs, em idade escolar, não puderam acompanhar as aulas pela internet.

Neste sábado (19), a família decidiu deixar o imóvel porque a situação se tornou insustentável. “Não conseguimos tomar banho há dois dias”, revolta-se. Cássio foi para a casa da namorada e o restante dos familiares se deslocou para a casa de uma tia, que vive na mesma rua.

Após contato de VEJA São Paulo com a Enel para esclarecer o caso, a empresa enviou uma equipe até o local e a energia elétrica foi restabelecida. “A Enel Distribuição São Paulo esclarece que o fornecimento de energia está normalizado. A companhia informa que realizou os reparos na rede elétrica que atende o cliente para garantir o fornecimento de energia no local”, informou em nota.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade