Ciclistas movem ação contra aumento de velocidade nas marginais

Ação civil pública foi aberta depois da reunião entre o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte e o secretário de Transportes Sérgio Avelleda

A Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo (Ciclocidade) moveu uma ação civil pública na quinta-feira (19) para tentar barrar o aumento das velocidades nas Marginais Pinheiros e Tietê. Promessa de campanha do prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), as mudanças estão programadas para o dia 25, aniversário da cidade. A partir da data, as velocidades serão de 90 quilômetros por hora nas expressas, 70 quilômetros por hora nas centrais e 60 quilômetros por hora nas locais, com exceção da faixa à extrema direita, que permanecerá a 50 quilômetros por hora.

A ação foi movida pela Ciclocidade durante a tarde, após reunião do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte com a participação de Sérgio Avelleda, secretário municipal de Transportes e Mobilidade. Avelleda estimou em 15 minutos o ganho médio para o motorista que percorrer ambas as pistas de ponta a ponta fora do horário de pico. O secretário, porém, não apresentou estudo técnico no momento da reunião.

A ação foi impetrada em caráter de urgência, com pedido de liminar, determinando que a Prefeitura fique proibida de aumentar o limite de velocidade nas vias. O grupo cobra que a gestão Doria demonstre tecnicamente que o aumento das velocidades máximas não irá acarretar no aumento de colisões ou atropelamentos.

A organização também solicita na ação que o programa “Marginal Segura” seja submetido à apreciação e discussão no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte, além de audiências públicas e debates técnicos com especialistas sobre o tema.

“O princípio básico da engenharia de mobilidade é preservar a vida e a saúde das pessoas – não apenas fazer com que cheguem mais rápido aos lugares. As Marginais do Pinheiros e do Tietê sejam talvez os corredores por onde mais circulam pessoas, em todos os modos de transporte. Em dezembro, a Ciclocidade e a Cidadeapé – Associação pela Mobilidade a Pé em São Paulo, que apoia a Ação Civil, realizaram duas contagens conjuntas de pedestres e ciclistas.

Em apenas um ponto da Marginal do Pinheiros, mais de 19,3 mil pedestres circularam no período entre 6 horas e 20 horas, horário em que o levantamento costuma ser realizado; na Ponte da Freguesia do Ó, na Marginal do Tietê, foram 643 ciclistas”, informou a associação em nota.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Sou ciclista e essa associação não me representa. Bicicleta na marginal só o pelotão do jóquei aos domingos bem cedo, com gente experiente para o tipo de pista. A unica coisa que consideraria é deixar 50km/h nas pistas locais, onde pode haver pedestres.

  2. Marcelo Da Silva

    Fico abismado como o PT tenta de todas as formas atrapalhar o crescimento da cidade.