Alto da Lapa: um bairro para fincar raízes

Projetado como refúgio verde, o Alto da Lapa se moderniza e apresenta arquitetura autoral

Pouca gente sabe, mas, há quase 100 anos, o Alto da Lapa, uma das regiões mais tradicionais de São Paulo, foi concebido como “bairro jardim” por um arquiteto inglês chamado Barry Parker. No projeto dos anos 1920, as áreas verdes já eram valorizadas nas ruas largas e arborizadas.

O bairro se modernizou e hoje é um exemplo de experiência urbana bem-sucedida. Localizada ao lado do Alto de Pinheiros e próxima a parques, praças, comércios e escolas, a região consegue manter certo clima de cidade pequena do interior, com vias sinuosas e cheias de árvores. Lá, o verde, os moradores e o comércio local convivem em harmonia.

A moradia também tem passado por mudanças positivas. Novas propostas de arquitetura autoral surgiram, sem desconsiderar a história do bairro. Exemplos disso são dois novos edifícios da Idea!Zarvos, integrados a esse contexto de priorização da qualidade de vida. Ambos com inspirações na natureza, os empreendimentos chamam-se Árbol e Flora.

 (Alex Haiashida/Idea!Zarvos/Divulgação)

No primeiro, assinado pelo escritório português Carvalho Araújo, o prédio foi feito a partir de uma grande estrutura composta por diferentes módulos com identidade própria. Isso permite que o morador transforme o espaço como quiser. É o conjunto que dá unidade ao projeto – o desing forte e rígido é contrastado por cores tênues, detalhes e tipos de revestimento. Os apartamentos variam de 160 a 192 metros quadrados, e a área comum conta com salão de festas, piscinas e academia.

Pensado para quem tem filhos, o edifício Flora, de autoria do arquiteto Gui Mattos, concilia arquitetura contemporânea com espaços para a família, como academia, área externa de lazer, bicicletário, piscina e sala de brincar. Os apartamentos, que têm entre 96 e 125 metros quadrados, foram projetados para captar o máximo de iluminação e ventilação natural em todos os ambientes. Varandas e amplas janelas, do chão ao teto, trazem luz e aumentam a sensação de amplitude e bem-estar.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s