Especial Inhotim, MG: cinco razões para ir de carro a partir de São Paulo

  O Instituto Inhotim, desnecessário dizer, é um programaço para um fim de semana ou feriado. Maior museu de arte contemporânea a céu aberto do mundo, o complexo ocupa toda uma fazenda de 100 hectares e colinas verdes a perder de vista. Há quem diga que só o paisagismo (que inclui trechos projetados por Burle […]

 

A instalação True Ruge, de Tunga: mergulho na arte contemporânea

O Instituto Inhotim, desnecessário dizer, é um programaço para um fim de semana ou feriado. Maior museu de arte contemporânea a céu aberto do mundo, o complexo ocupa toda uma fazenda de 100 hectares e colinas verdes a perder de vista. Há quem diga que só o paisagismo (que inclui trechos projetados por Burle Marx, um jardim botânico e cinco lagos de águas verde-esmeralda – com cisnes!) já valeria a viagem. Mas o Inhotim exibe permanentemente cerca de 500 obras de 100 artistas de mais de 30 nacionalidades em 20 diferentes pavilhões que poderiam ser pequenos museus independentes. Gente do calibre dos brasileiros Hélio Oiticica, Adriana Varejão, Cildo Meireles, Ernesto Neto, Tunga, além dos estrangeiros Olafur Eliasson, Cristina Iglesias, Chris Burden…

O que muita gente vem descobrindo (e adorando) é que o Inhotim, apesar de estar a mais de 500 quilômetros de São Paulo, é uma ótima escapada de carro a partir da capital. Há pelo menos cinco ótimas razões para isso:

1)      A estrada
A BR-381 (Fernão Dias) é toda duplicada e pedagiada. Do total de 540 quilômetros a partir de São Paulo, ela responde por 517 quilômetros. Ou seja: apesar de longe, a viagem é tranquila.

2)      O preço
Uma simulação para o próximo final de semana indica que o preço da passagem aérea de ida e volta mais barata para Belo Horizonte (Aeroporto de Confins) para uma pessoa é 350 reais – exatamente o que se gasta para ir de carro (aproximadamente dois tanques de gasolina + 22,40 reais de pedágio), com a vantagem que um automóvel acomoda até cinco pessoas, ou seja, a viagem pode sair por 20% do preço. Além disso, o aeroporto fica a 100 quilômetros de Brumadinho, o que implica aluguel de carro.

3)      A localização das pousadas
O Inhotim fica afastado do centro de Brumadinho – e as pousadas também, a maioria em direções opostas. As mais próximas estão a cerca de 4 quilômetros. Chegar ao museu pode demorar mais de meia hora de carro, por estradinhas secundárias.

4)      A liberdade de ir e vir
Além da distância entre as pousadas e o Inhotim, estar de carro é a melhor maneira de explorar a cidade e os arredores. Tempo livre é o que não vai faltar, já que o museu fecha entre 16h30 (durante a semana) e 17h30 (de sexta a domingo e feriados).

5)      As compras nas lojinhas do museu
Além de artigos de design, há uma outra loja que vende lindos (e enormes) vasos de plantas cultivadas por lá. É a chance de levar para casa belos exemplares do Jardim Botânico, além de cerâmicas pintadas à mão por artistas e pela comunidade local.

(foto: divulgação)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s