Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Tudo Sobre Cinema

Netflix: 19 filmes para chorar sem culpa no sofá

Tente não derramar lágrimas vendo estes comoventes longas-metragens

Por Miguel Barbieri Jr. Atualizado em 24 fev 2020, 13h12 - Publicado em 26 Maio 2016, 21h15

Alguns dos filmes da lista abaixo, disponíveis na Netflix, me fizeram chorar. Se não derramei lágrimas, ao menos fiquei muito comovido. É muito fácil fazer um espectador chorar. O difícil é fazer chorar sem escorregar no sentimentalismo, no dramalhão, na pieguice.

Acho que todos os filmes que escolhi têm a qualidade de emocionar sem precisar carregar nas armadilhas do gênero. Se a sua intenção é chorar sem culpa no sofá, siga minhas dicas.

Até o Último HomemO americano Desmond Doss (Andrew Garfield) é um rapaz apaixonado pela enfermeira Dorothy (Teresa Palmer), vem de uma família humilde e, interessado em medicina, decide se alistar para lutar na II Guerra e, assim, poder salvar seus compatriotas no Japão, em 1945. Mas, Adventista do Sétimo Dia, ele se recusa a pegar em armas.

Um Momento Pode Mudar Tudo – Uma pianista casada tem sua vida virada do avesso ao descobrir que tem uma doença degenerativa.

Lída BaarováEmbora com recriação de época mediana, a biografia de Lída Baarová, papel de Tatiana Pauhofová (foto), ganha pontos pelas curiosidades. Atriz famosa na Checoslováquia da década de 30, ela se mudou para Berlim a fim de fazer carreira no cinema alemão. Caiu nas graças de Hitler e virou amante de Joseph Goebbels, o ministro da Propaganda nazista, que era casado e pai de família. A trajetória de Lída, então, foi da glória à desgraça em poucos anos.

Eu Sou Michael – Inspirado numa história real, mostra a mudança de comportamento de um ativista gay que, influenciado pela religião, decidiu virar pastor e a ter relações com mulheres.

Uma Lição de Amor – Sean Penn interpreta um pai com idade mental de 7 anos. Ele cuida muito bem da filha, mas o conselho tutelar não o considera capaz de criar a menina.

Como Eu Era Antes de Você Lou Clark (Emilia Clarke), uma moça simplória do interior inglês, perde o emprego de garçonete, mas é contratada como cuidadora de Will Traynor (Sam Claflin), um rapaz milionário que sofreu um acidente que o deixou tetraplégico. 

A Menina Índigo – De fundo espírita, o drama brasileiro mostra como uma garota rebelde, que faz pinturas abstratas, começa a ter o dom da cura.

O Fotógrafo de MauthausenMario Casas (foto) interpreta Francesc Boix, o assistente do fotógrafo do campo de trabalho escravo de Mauthausen, para onde eram levados, além de assassinos, judeus poloneses e espanhóis expatriados pelo ditador Francisco Fran¬co. Sua missão era nobre: esconder fotos e negativos para expor ao mundo as atrocidades cometidas pelos nazistas. A trama, ambientada em 1944, tem elementos do drama e do suspense.

O Céu É de Verdade – Uma família atravessa uma crise financeira e, para piorar, o garotinho precisou ser internado às pressas. Na mesa de cirurgia, Colton quase morre, mas sobrevive pela fé inabalável de amigos e familiares. Dias depois, ele revela ter estado no céu. 

Continua após a publicidade

O Céu é de Verdade

O Céu é de Verdade

Raça 
Caçula de uma família de nove irmãos, Jesse Owens (interpretado por Stephan James) driblou o preconceito e superou barreiras na década de 30. O filme, inspirado em história real, presta uma homenagem ao atleta negro, que nem mesmo as agressões físicas e verbais dos estudantes brancos o fizeram desistir de seu objetivo

A Noite de 12 Anos –  A história aqui se aproxima de um pesadelo real, ocorrido de 1973 a 1985, ou seja, os doze anos do título. Foi nesse período que Mujica (Antonio de la Torre), ex-presidente do Uruguai, e seus dois colegas (Chino Darín e Alfonso Tort) foram capturados pelos militares. 

Girl – Uma garota trans é aceita numa escola de balé e precisa tomar a decisão se começa a tomar hormônios para virar, definitivamente, uma menina.

Sociedade dos Poetas Mortos – Robin Williams interpreta um professor que, de uma maneira pouco acadêmica, incentiva seus alunos a aprender o sentido da vida.

Lion Um garoto indiano de origem muito humilde se perde do irmão mais velho e vai parar num orfanato. Mas consegue uma chance ao ser adotado por uma família da Austrália.

Lion — Uma Jornada para Casa: Dev Patel e Nicole Kidman Divulgação/Divulgação

Meu Nome É Ray – Um garoto trans (papel de Elle Fanning) passa por um processo de indecisão quanto ao futuro. Sua mãe e avó são favoráveis ao tratamento com hormônios, mas ele precisa da aprovação do pai, a quem não vê há muitos anos.

Antes de Partir – Jack Nicholson e Morgan Freeman são pacientes de um hospital e com doenças em estágio terminal. Um deles é rico e convida o outro para fazer uma viagem de despedida da vida.

Toy Story 3 – Até surgir, neste ano, o quarto capítulo, o terceiro filme da cinessérie seria o último e é impossível não chegar às lagrimas em seu desfecho – sobretudo para quem acompanhou durante anos a trajetória dos amigos Buzz Lightyear e Woody.

Up – Altas Aventuras – Sim, é uma divertida aventura em animação. Mas tem dois momentos de partir o coração.

O Menino que Descobriu o Vento – Num país da África, um garoto que não tem dinheiro para estudar tenta descobrir uma maneira de construir um moinho para trazer água até sua aldeia.
  • Quer me seguir nas redes sociais? Anote!
    Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
    Twitter: @miguelbarbieri
    Instagram: miguelbarbieri
    Snapchat: miguelbarbieri

    Continua após a publicidade
    Publicidade