Empresário desenvolve método para controlar o “chorinho” da bebida

Bruno Ferraro, um dos sócios do bar Seu Justino, comemora a economia

O empresário Marcus Prianti, 43, desenvolveu um método para controlar aquela dosezinha a mais pedida pelos clientes nos bares e nos restaurantes, o popular “chorinho”. Com uma balança e um scanner, ele consegue calcular quantas doses tem cada garrafa de bebida. “Sem esse controle, a perda média nos estabelecimentos gira em torno de 12% a 18%. Com a tecnologia, reduz para 2,5% em dois meses”, revela Prianti, que tem como clientes o hotel Unique e as redes Tatu Bola e Vila Seu Justino. “Nossa perda costumava bater em 6% a 8%, por erro na dosagem dos drinques. Atualmente, está entre 0,8% e 1,5%.”, comemora Bruno Ferraro, 32, um dos sócios do Seu Justino. “E melhor: ter ficado mais econômico no ‘chorinho’ não teve impacto no movimento”, completa Ferraro.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 27 de novembro de 2019, edição nº 2662.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s