Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Rômulo Arantes Neto diz que há preconceito com relação à beleza

Em bate-papo com Matheus Mazzafera no YouTube, o ator e ex-modelo revelou que acredita que há preconceito contra atores e atrizes que são mais bonitos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 5 fev 2020, 14h06 - Publicado em 23 Maio 2018, 16h10

Rômulo Arantes Neto está afastado das telinhas desde 2017, quando trabalhou na novela Pega Pega. Em bate-papo com Matheus Mazzafera no YouTube, o ator e ex-modelo revelou que acredita que há preconceito contra atores e atrizes que são mais bonitos — e que a beleza estética pode até se tornar um empecilho na carreira de um artista. “Você, por ser muito bonito, isso te prejudica para ser ator?“, questionou o youtuber na conversa.

Eu acho que a beleza abre portas, mas elas não mantém nenhuma porta aberta. Ela pode te impulsionar num momento inicial, mas você nunca vai se garantir por causa da beleza“,  explicou Rômulo. “Acho que existe sim o preconceito com relação à beleza. Eu acho que a pessoa que estéticamente é bonita, porque para mim beleza são milhões de coisas, mas aquela beleza clara, estéticamente, acho que ela acaba tendo que provas duas vezes mais o talento por causa do preconceito alheio. Vai exigir mais de você para você demonstrar talento“, disse o ator. “Acaba exigindo de você duas vezes mais talento ou a necessidade de mostrar serviço“.

Matheus Mazzafera, então, questionou se o ator acha que uma pessoa bonita tem mais chances de estar no ar. “A pessoa bonita normalmente é escalada para papel de bonito. Acho difícil a pessoa ter oportunidade de fazer uma pessoa diferente, fugir do estereótipo de galã. Ir para um esquizofrênico ou um cara sujo, porco. Eu acho que as possibilidades são menores. Não significa que é impossível, mas você precisa ter um produtor de elenco, um diretor que compra seu baralho, que acredita no seu trabalho, para você fazer um papel assim“, explicou Rômulo, relembrando trabalhos de atores como Bruno Gagliasso e Rodrigo Santoro.

Muitas vezes, inclusive, a pessoa que é bonita só vai conseguir mostrar, de verdade, num papel desses. Porque senão falam que ela tá interpretando ela mesma, essa coisa de julgar superficialmente. Então eu acho que é muito importante uma pessoa que é privilegiada estéticamente ter oportunidade de fazer um papel fugindo dessa carcaça estética privilegiada“, concluiu Rômulo. Assista: 

Dê sua opinião: E você, o que achou do desabafo de Rômulo Arantes Neto? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade