Clique e assine por apenas 5,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Jovem fica com cicatriz de 15cm após procedimento estético dar errado

"Eu acordei com sangue escorrendo pelo meu rosto, parecia um filme de terror", contou a mulher de 24 anos após fazer um megahair

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 5 fev 2020, 14h12 - Publicado em 23 abr 2018, 18h14

Helzie Amnell-Connor, de 24 anos de idade, acordou em “agonia” após uma visita ao cabeleireiro. A jovem investiu 200 libras (cerca de 960 reais) em um aplique de cabelo, mas os fios do megahair foram costurados muito apertados ao couro cabeludo da mulher de Leeds, em West Yorkshire, no Reino Unido. Após o procedimento, a jovem ficou com cicatrizes permanentes. Atenção: imagens fortes.

Helzie acordou com uma dor terrível e com sangue “escorrendo” pelo seu rosto. Ao The Daily Mirror, ela diz que ficou chocada ao descobrir que o megahair tinha penetrado no seu couro cabeludo. A jovem diz que fez alertas para a profissional durante o processo: ela temia que seu cabelo estivesse muito curto para o procedimento. Enquanto os fios estavam sendo trançados ao seu cabelo, a mulher alega que alertou a cabeleireira sobre a pressão do trançado, mas a profissional responsável por atendê-la disse que ela “iria se acostumar”.

Após o procedimento, que levou uma hora, a jovem recebeu a orientação que deveria voltar ao salão de cabeleireiros após quatro semanas para que profissionais analisassem os implantes. Nas semanas seguintes, no entanto, a dor e a pressão cresceram em seu coro cabeludo. A consumidora voltou a falar sobre os sintomas, mas profissionais disseram que a situação era normal. Helzie, então, passou a ignorar a dor após o conselho dos cabeleireiros.

Na sexta (20), às 4 da manhã, ela acordou “em agonia” e “coberta de sangue”. A jovem gritou por ajuda e foi socorrida pelo pai, que cortou o trançado do cabelo da filha. A dupla, então, notou que a fita do megahair tinha penetrado no escalpo da jovem. “Eu acordei com sangue escorrendo pelo meu rosto. Parecia um filme de terror. Então eu fui até o banheiro e vi que tinha sangue no meu rosto“, relembrou Helzie. “Eu gritei pelo meu pai para que ele desfizesse as tranças do meu cabelo, mas a fita do megahair tinha penetrado na linha do meu cabelo. Eu estava coberta de sangue“, desabafou a mulher.

A jovem, então, foi até o hospital, onde médicos prescreveram antibióticos e analgésicos. Apesar do tratamento eficiente, a mulher ainda teme que a cicatriz de quinze centímetros em sua testa não desapareça. “Eu só quero conscientizar as pessoas sobre a situação. Para uma mulher, o cabelo é a parte mais importante do nosso corpo e é importante que as pessoas saibam que isso pode acontecer. Se eu soubesse que a dor estava indicando que havia algo errado, eu teria feito algo antes — eu posso ter cicatrizes para o resto da vida“, desabafou.

Eu não consigo nem olhar para o meu pai. A cicatriz está na minha testa e eu não posso escondê-la. Eu costumava gostar da minha aparência, então isso é muito difícil. Mas poderia ter sido muito pior. Já ouvi histórias de mulheres que ficaram carecas após um megahair mal aplicado“, contou a jovem ao The Daily Mirror. “Ainda estou em choque após ver todo aquele sangue, para ser honesta“. Agora, a cliente está tomando medidas legais contra o salão de cabeleireiros responsável pelo trabalho: “Você confia nesses profissionais, mas isso acabou se tornando uma história de horror“.

Dê sua opinião: E você, o que achou do desabafo de Helzie Amnell-Connor? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade