Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Jovem não vai ao banheiro desde 2014 por causa de síndrome rara

"Eu já sofri com mais de 90 infecções e estou sempre retornando ao hospital", desabafou a jovem após sofrer há três anos com a doença

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 31 ago 2017, 19h21 - Publicado em 31 ago 2017, 19h11

Vikki Black, de 23 anos de idade, está há três anos sem urinar por causa de uma doença raríssima. A Síndrome de Fowler, é uma causa rara de retenção urinária que afeta jovens mulheres porque fica impossível relaxar os músculos da bexiga. Em 2014, quando os primeiros sintomas apareceram, Vikki acreditou que tinha cistite — mas o diagnóstico foi muito pior.

Agora, após três anos de luta, a jovem quer enfrentar um procedimento pioneiro. A cirurgia implantaria pequenos pulsos elétricos, servindo de gatilho para os nervos da bexiga de Vikki voltem a funcionar. “A doença mudou muito a minha vida. Eu estou sempre entrando e saindo do hospital e não posso fazer algo simples como ir ao banheiro. O procedimento é minha última esperança. Eu estou desesperada“, desabafou ao The Daily Mail sobre a síndrome rara.

Os sintomas de Vikki apareceram pela primeira vez no segundo semestre de 2014, quando a engenheira ambiental, que sempre foi saudável, começou a ter problemas para urinar. Nos próximos dias, a dificuldade piorou ainda mais e a jovem não conseguiu mais ir ao banheiro. Seu estômago, então, inchou dramaticamente e a mulher sentia-se “grávida de 20 semanas”. “Eu estava explodindo. Eu sabia que eu precisava ir ao banheiro, eu só não conseguia“, contou.

Continua após a publicidade

Foi quando o pai de Vikki, Steve Black, de 52 anos de idade, levou a jovem ao hospital. Os médicos usaram um cateter de emergência para drenar mais de 1,2 litro de urina de seu corpo. Especialistas disseram que a bexiga humana só pode aguentar um máximo de 500 mililitros de urina por vez. O alívio do atendimento foi imediato e a jovem acreditou que estava curada mas, no dia seguinte, sua barriga voltou a ficar inchada. Ela voltou ao mesmo centro médico, onde novamente o cateter foi colocado em seu corpo.

Após muitos exames dolorosos, a jovem finalmente foi diagnosticada com a Síndrome de Fowler. A doença afeta principalmente mulheres de 20 aos 40 anos de idade e pode ser resultado de uma operação — mas também pode acontecer espontaneamente. “É tão rara que não é incomum médicos ou profissionais da área da saúde não a conhecerem. Mas ela tem um grande impacto na minha vida. Por causa do cateter, eu tenho muitas infecções nos rins. Eu já sofri com mais de 90 infecções e estou sempre retornando ao hospital“, a jovem contou ao The Daily Mail.

A jovem está na fila para fazer a operação que é sua última esperança, mas gostaria de fazer a cirurgia no sistema particular “para evitar as filas”. Se você quiser ajudar Vikki a realizar o tratamento, clique aqui.

Dê sua opinião: E você, o que achou da triste história de Vikki? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Continua após a publicidade

Publicidade