Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Amigos apostam no mesmo corte de cabelo para confundir professora

"Se isso não é prova o suficiente que ódio e preconceito são ensinados, então eu não sei o que é", comentou a mãe da criança de 5 anos de idade no Facebook

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 3 mar 2017, 18h12 - Publicado em 3 mar 2017, 11h10

Toda criança adora pregar uma boa pegadinha, não é mesmo? Pois a brincadeira do pequeno Jax Rosebuch, de apenas cinco anos de idade, está emocionando internautas do mundo inteiro: na sexta (24), a mãe da criança, Lydia Stith Rosebush, publicou em seu perfil no Facebook uma história que já recebeu mais de 85 000 curtidas e foi compartilhada outras 78 000 vezes.

Hoje de manhã, eu e o Jax estávamos discutindo seu cabelo. Eu disse que ele precisava de um corte de cabelo. Ele disse que gostaria de raspar a cabeça com uma máquina bem baixa para ficar parecido com o seu amigo, Reddy. Ele disse que mal podia esperar para chegar ao colégio na segunda-feira com o cabelo igual ao do Reddy porque a professor não conseguiria diferenciá-los. Ele achou que seria hilário confundir a professora com o mesmo corte de cabelo“, explicou a mulher nas redes sociais. O detalhe que chamou a atenção nas redes sociais — e que a criança sabiamente ignorou? Jax é branco, enquanto seu melhor amigo é negro.

002

Os colegas estudam em Kentucky, nos Estados Unidos, e acreditam que, com o mesmo estilo de cabelo, a professor não conseguiria diferenciá-los. “Aqui está uma foto de Jax e Reddy numa festa de Natal. Eu tenho certeza que todos vocês conseguem perceber a semelhança. Se isso não é prova o suficiente que ódio e preconceito são ensinados, então eu não sei o que é. A única diferença que Jax vê entre eles é o corte de cabelo“, conclui a mulher. Confira: 

A lição de amor ensinada por Jax e Reddy chamou a atenção das redes sociais: “As crianças sempre têm um coração puro, são os adultos que as contaminam“, opinou uma mulher. “Belíssima história, muito obrigado por compartilhá-la. Crianças têm ótimos corações“, comentou um rapaz.

  • Dê sua opinião: E você, o que achou da emocionante história? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade