Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Blog do Miguel Por Miguel Barbieri Jr. Fique por dentro das melhores dicas de filmes e séries.

Todo cinéfilo deve ver: seis clássicos em preto e branco

Crepúsculo dos Deuses é uma das obra-primas da lista

Por Miguel Barbieri Atualizado em 13 nov 2020, 13h29 - Publicado em 12 nov 2020, 12h24

Mais seis filmes da série “Todo cinéfilo deve assistir”. Desta vez, busquei filmes em preto e branco. E tenho um motivo para isso: muitas pessoas, por incrível que pareça, não gostam de filmes que não sejam coloridos. Eu acho lamentável. Obras-primas, como Cidadão Kane e Casablanca, são em preto e branco. Mas fui buscar outros títulos que eu amo com uma intensidade ímpar. Confira abaixo.

PROMOÇÃO +Assine a Vejinha a partir de 5,90

A Felicidade Não Se Compra > Com a proximidade do Natal, vale (re)ver esta maravilhosa fábula que o diretor Frank Capra realizou em 1946. É impossível conter as lágrimas ao fim da trajetória de George Bailey (James Stewart), um pai de família que, desesperado financeiramente, pensa em cometer uma loucura. Mas um anjo aparece para mostrar como seria a vida dos outros sem ele. É grátis na NetMovies.

O Grande Ditador > Escrito, protagonizado e dirigido por Charles Chaplin, o filme foi lançado em 1940, em plena II Guerra, e é uma afiadíssima provocação a Adolf Hitler. Em papel duplo, Chaplin interpreta personagens antagônicos: o ditador da fictícia Tomânia e um barbeiro judeu, que é vítima de fascistas. Foi indicado a cinco prêmios no Oscar e saiu da cerimônia sem nada. Streaming do Telecine.

Mamma Roma > É um trabalho mais “domado” de Pasolini, o realizador de Pocilga e Saló. Com ecos do neorrealismo italiano, a trama é sobre Mamma Roma (Anna Magnani), ex-prostituta que leva uma vida comum vendendo frutas. Quando consegue juntar as economias, traz do interior o filho adolescente. Mas ele não se encaixa nos moldes da mãe.  É Grátis no Sesc Digital em sescsp.org.br/cinemaemcasa.

Os Incompreendidos > Em seu primeiro longa-metragem, de 1959, François Truffaut foi um dos precursores da nouvelle vague com a história de Antoine Doinel (Jean-Pierre Léaud). Aos 14 anos, o garoto se rebela contra o autoritarismo escolar e, rejeitado pela mãe e pelo padrasto, passa a ter uma vida independente. Alter ego do diretor, o personagem surgiu em outros quatro filmes. Streaming do Telecine.

Psicose > A filmografia de Alfred Hitchcock é riquíssima. E um de seus pontos altos é este suspense que tem uma das cenas mais emblemáticas do cinema: o assassinato de Janet Leigh no chuveiro. A trama traz a fuga de uma secretária que, após dar um desfalque em seu patrão, se hospeda num motel de beira de estrada cujo recepcionista (Anthony Perkins) é muito estranho. Netflix e Streaming do Telecine.

Crepúsculo dos Deuses > Eis uma obra-prima do cinema, dirigida por Billy Wilder. Lançada em 1950, não perdeu o sabor de novidade nem a relevância. Magnífica, Gloria Swanson é Norma Desmond, a diva reclusa e decadente que quer voltar ao estrelato, mas, por causa da idade avançada, não encontra papéis à altura. Um aspirante a roteirista (William Holden) vai ajudá-la (ou enganá-la?). Streaming do Telecine.

Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade
Continua após a publicidade
Publicidade