Netflix: predador sexual da ioga é tema de ótimo documentário

Bikram Choudhury foi acusado de assédio e estupro em 2014

No início dos anos 70, Bikram Choudhury deixou a Índia para curar o então presidente Richard Nixon de uma trombose, já que ele mesmo havia tido um grave problema na perna e se recuperou com exercícios de ioga. A partir daí, Bikram foi virando uma lenda, passou a atender celebridades do porte de Barbra Streisand e Frank Sinatra, tornou-se o mestre da ioga de Beverly Hills, ficou milionário e dava cursos que custavam 10 000 dólares.

Em 2014, porém, seu império desabou com o surgimento de ex-alunas que o acusaram de assédio e estupro. O documentário Bikram: Yogi, Guru, Predador não deixa de colher depoimentos de iogues que tecem elogios ao mestre. O foco, contudo, está na figura do predador sexual, que, egocêntrico, megalomaníaco e machista, deixou um rastro sujo em sua biografia. Está disponível na Netflix.

Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s