Clique e assine por apenas 5,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

As passagens de Ronnie Von pela Record

O cantor apresentou diversos programas na emissora que o revelou

Por Roosevelt Garcia - 9 ago 2018, 18h37

Apelidado de Príncipe na época da Jovem Guarda, o cantor Ronnie Von era um legítimo representante daquele movimento jovem dos anos 60, apesar de não fazer parte do programa Jovem Guarda, apresentado por Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. Ele era um fenômeno à parte, e teve sucessos indiscutíveis, como sua versão para a música Girl, dos Beatles, chamada por aqui de Meu Bem. Como cantor, ele vendeu mais de 10 milhões de discos na carreira.

Na mesma época do programa de Roberto e Erasmo, Ronnie Von ganhou seu próprio programa na Record. Era chamado de O Pequeno Mundo de Ronnie Von, onde ele interpretava um personagem baseado no livro O Pequeno Príncipe e apresentava atrações musicais. Foi a partir desse programa que ele ganhou o apelido que o acompanha desde então, dado pela apresentadora Hebe Camargo.

Cena de O Pequeno Mundo de Ronnie Von Rede Record

O programa apresentava atrações musicais diferentes de seu concorrente da mesma emissora. Em vez dos maiores representantes do ié-ié-ié da época, o programa do Ronnie trazia para o ar músicos que começavam a despontar no cenário nacional, Gal Costa, Caetano Veloso e Gilberto Gil, e também o recém-formado grupo de rock Os Mutantes. O Pequeno Mundo de Ronnie Von ficou no ar entre 1966 e 1968, e depois dele, vieram outros programas e especiais na mesma emissora, como Ronnie & Ronaldo e Ronnie e os Alegres Companheiros.

Entre o final dos anos 60 e a década de 80, Ronnie Von teve programas em outras emissoras, como a Excelsior e a Tupi, ao mesmo tempo em que colecionava sucessos musicais, inclusive fora do Brasil. Seu estilo era um rock psicodélico, muito influenciado pelos últimos anos dos Beatles. Foi nessa época que ele também fez a novela Cinderela 77, também na Tupi.

Em 1991, ele voltou para a Record para apresentar uma atração noturna, um programa de entrevistas com atrações musicais, chamado Sinal de Vida, título retirado de uma de suas músicas. O programa marcou sua volta para a emissora que o havia consagrado. Sinal de Vida ficou no ar até 1992.

Trecho de 1992 do programa Sinal de Vida:

No final daquela década ele foi para a CNT/Gazeta apresentar o programa Mãe de Gravata, e está lá até hoje, com o Todo Seu, programa diário de entrevistas que permanece no ar desde 2004, e que figura entre as maiores audiência da emissora.

 

Continua após a publicidade
Publicidade