Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Cidade das Crianças Por Blog Os melhores programas para crianças e família espalhados por São Paulo. Por Maria Alice Prado (maria.alice@abril.com.br)

Como é o dia a dia de uma sereia no Aquário de São Paulo

A fisioterapeuta Karoline Carmagnani conta como é dar a vida à sereia Cristal

Por Camila Pusiol Atualizado em 1 fev 2019, 18h56 - Publicado em 1 fev 2019, 16h41

Basta entrar no Aquário de São Paulo, no bairro do Ipiranga, na Zona Sul da capital, para perceber que a atração Mergulho com as Sereias é a responsável por captar boa parte dos visitantes. A atividade, que rola todos os dias das 10h às 17h, encanta crianças e adultos.

Debaixo d’água, elas nadam, fazem acrobacias, acenam, mandam beijos e interagem com as crianças que se espremem em frente ao tanque, hipnotizadas com cada movimento das personagens. A sereia Cristal, por exemplo, é vivida há quase seis anos pela fisioterapeuta Karoline Carmagnani da Silva, 23. 

As crianças ficam fascinadas pela sereia Divulgação/Divulgação

Antes, Karoline era atleta federada do nado sincronizado do Corinthians. Em um dia normal de treino, Márcio Duarte, o diretor de marketing do Aquário, a procurou no clube e a convidou para uma avaliação, que teve resultado positivo. “Quando eu coloquei a cauda, foi uma sensação maravilhosa. Parecia que ela era uma parte que faltava em mim”, conta.

Atualmente, ela se dedica apenas ao Aquário, mas, por ser um trabalho cansativo, seu corpo precisa de uma recuperação adequada e preparamento intenso. “Vou à academia todos os dias e realizo treinos de resistência e força. A alimentação precisa ser equilibrada, com muitas vitaminas e minerais”, afirma.

Continua após a publicidade

A sereia Cristal durante uma apresentação Divulgação/Divulgação

Nos momentos de descanso, Karol gosta de estudar sobre técnicas de fisioterapia e, principalmente, sobre a mitologia que envolve as sereias. “Passo horas procurando e criando novidades para mostrar aos visitantes.”

Para Cristal, ou melhor, Karoline, a interação com a plateia e o impacto na vida das crianças são as partes mais mágicas do serviço. “Faço de tudo para agradar o público e transmitir carinho, amor e simpatia a todos, sendo adulto ou criança. Esse é o principal motivo de eu trabalhar como sereia. É puro encantamento, fantasia, mistério”, comenta.

Karol, sem seus trajes característicos de sereia Divulgação/Divulgação

Neste domingo (3), a atração faz uma pausa e deve retornar, provavelmente, durante o Carnaval. Karol pretende aproveitar o período de descanso para viajar e estudar. “Quero aproveitar também para elaborar novidades para o retorno da atração e continuar treinando. Agradeço todos os dias por ter o trabalho dos meus sonhos.”

Continua após a publicidade

Publicidade