Como saber se meu cão está com calor?

O zootecnista Alexandre Rossi dá dicas sobre o assunto

Com a chegada do verão, esta é uma dúvida muito comum entre os tutores, especialmente por conta das atividades externas que fazemos com nossos cachorros e os riscos que podem estar envolvidos em razão das altas temperaturas.

Vamos, portanto, a alguns sinais físicos e comportamentais que nos mostram que é hora de dar uma pausa no passeio ou na brincadeira.

Respiração

É comum que, em dias muito quentes, os cães fiquem bem ofegantes. E isso não é sede, como a maioria das pessoas pensa. Cachorros não suam como nós: eles regulam a temperatura corporal justamente pela respiração.

É por esse motivo, portanto, que muitas vezes oferecemos água a um cão que está ofegando, mas ele não aceita. Está simplesmente com calor e não com sede.

Devemos ter um cuidado especial com as raças com focinho achatado (braquicefálicas), como os pugs e os buldogues, que têm dificuldade de respiração por conta dessa característica anatômica e, assim, um risco maior de sofrer um superaquecimento do corpo (hipertermia).

Como e onde deita

Os cães, quando deitam com a barriga encostando diretamente no chão (especialmente um bom e refrescante piso frio), estão tentando resfriar o corpo. O mesmo acontece quando dormem de barriga para cima.

Nessas situações, não se preocupe com que durmam na caminha, que deve estar bem quente para eles.

Durante o passeio

Alguns sinais comportamentais mostram que o cachorro pode estar sofrendo com o calor durante um passeio no verão. Por exemplo, andar sempre procurando sombra ou não estar tão animado para farejar ou explorar.

Nesses casos, é importante entender esses sinais, dar uma parada e até voltar para casa se ele estiver realmente demonstrando não estar confortável.

Dicas

Para garantir que tudo fique bem no verão, vale seguir algumas dicas:

– Passear em horários em que as temperaturas estão mais amenas: bem cedo pela manhã e/ou no final da tarde;

– Conferir se o chão está muito quente, lembrando que cães são mais baixos e, portanto, o calor do asfalto é sentido muito mais intensamente por eles;

– Cuidado especial com as raças de focinho achatado, que têm mais dificuldade para respirar.

Por Alexandre Rossi, zootecnista, especialista em comportamento animal e sócio-fundador da Cão Cidadão.

Alexandre Rossi, zootecnista

Alexandre Rossi, zootecnista (Divulgação/Divulgação)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Alessandra da Mata

    Olá Alexandre tenho 2 Fox Paulistinhas e quando percebo q eles estão muito ofegantes e com as patas e barrigas muito quentes levo eles p o chuveiro com água gelada e eles voltam ao normal e ficam muito felizes, estou certa ou errada em fazer isso