Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Blog do Lorençato Por Arnaldo Lorençato O editor sênior Arnaldo Lorençato é crítico de restaurantes há 29 anos. De 1992 para cá, fez mais de 15 000 avaliações. Também é autor do Cozinha do Lorençato, um podcast de gastronomia, e do Lorençato em Casa, programa de receitas em vídeo. O jornalista leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie

Fitó traz a cozinha do Piauí para SP

Restaurante no Largo da Batata, em Pinheiros, apresenta clássicos do estado nordestino como arroz maria isabel e paçoca

Por Arnaldo Lorençato Atualizado em 10 jun 2017, 00h36 - Publicado em 5 jun 2017, 20h58

Quando se fala em representação culinária do Brasil por estados nos restaurantes de São Paulo, a oferta pode ser prodiga de Minas Gerais e da Bahia. E para aí. O novo Fitó, aberto no Largo da Batata, vem sanar um pouco essa lacuna.

Por trás do menu está a sócia Cafira Foz, uma cearense de Fortaleza criada em Teresina, e apelidada de justamente de Fitó. Ela reuniu uma coleção de receitas clássicas de seu estado de coração, o Piauí, e promete apresentá-las à sua maneira.

Cozinha envidraça: possível ver a equipe em comanda por Cafira em ação Ludmila Bernardi/Veja SP

No salão, são saboreadas pedidas típicas como arroz maria isabel, carne-de-sol e paçoca. Das experiências culinárias vividas fora do Brasil, em especial na França onde vive sua mãe, a cozinheira trouxe inspiração para outros pratos.

Na versão do carneiro no leite de coco fresco na companhia de cuscuz de milho com manteiga de garrafa e hortaliças assadas, um clássico piauiense, ela vê uma conexão com o Marrocos. De olho na presença portuguesa na Índia, apresenta o caril de frango, a partir de sua visão dos curries asiáticos.

Bar: vista para os dois lados do salão Ludmila Bernardi/Divulgação

O espaço de 200 metros quadrados cheio de plantas e com uma cozinha envidraçada não está completamente finalizado. Numa laje que se abre no piso superior, ficará mais um rooftop, tendência na cidade depois de ter virado febre em Nova York anos atrás. Não é só. Na escada usada para chegar a essa área do restaurante fica uma luminária em buriti feita pelo designer Abrahão Cavalcante, pai da proprietária. Sócio e marido de Cafira, Thomaz Foz conta que o imóvel pertence a seu pai, que arrematou por 650.000 reais o ponto onde funcionou uma lanchonete . “Na montagem, investimos certa de 500.000 reais” calcula Foz.

Em soft opening até o fim deste mês de junho, o Fitó oferece de cortesia para o clientes que passarem por lá mês o palitinho de tapioca com geleia de pimenta. Em dois meses, a casa deve estar funcionando também no jantar.

A conferir.

Obrigado pela visita. Aproveite para deixar seu comentário, sempre bem-vindo, e curtir a minha página no Facebook. Também é possível receber as novidades pelo Twitter.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade