Dublê de Corpo

VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Julia Flamingo

Diversos movimentos da história da arte voltaram sua atenção ao corpo humano. As formas de abordagem, porém, foram as mais distintas. No lugar de representações simples de nu artístico ou imagens ligadas à religião, por exemplo, a arte contemporânea prefere a anatomia capaz de abordar, de modo abstrato, temas como fetiche, dor e política. Na mostra Dublê de Corpo, a curadora Ligia Canongia reúne obras inéditas de quinze artistas, como Ernesto Neto, Cao Guimarães e Nazareth Pacheco. No trabalho Auto-Sustentável, de Celina Portella, por exemplo, uma coreografia extrapola os limites entre o interior e o exterior do quadro. Na abertura da exposição, Renan Marcondes apresenta uma provocante performance calçando sapatos com 30 centímetros de salto. Até 18/11/2016.

    info
  • Ano: 2016
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s