A Repartição do Tempo

Tipos de Gêneros dramáticos: Comédia
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars

Resenha por Miguel Barbieri Jr.

Fora da caixinha, A Repartição do Tempo traz um sopro de novidade no cenário da comédia nacional. Trata-se de uma crítica ácida e irônica ao funcionalismo público numa história totalmente fantasiosa. Na Brasília da década de 80 (em detalhista recriação de época), o protótipo de uma máquina do tempo é encostado no fictício departamento de patentes e invenções. Lá, os funcionários passam as horas esperando o momento de ir embora, entre eles Jonas (Edu Moraes), um aspirante a quadrinista. O chefe-vilão (Eucir de Souza) resolve, então, duplicar seus subalternos e prendê-los num porão. Cheio de referências, o filme acaba se atropelando entre tantas (boas e más) ideias, e o desfecho frustra por deixar dúbia sua posição sobre a burocracia brasileira. Direção: Santiago Dellape (Brasil, 2016, 100min). 16 anos. Estreou em 1/2/2018.

    info
  • Direção: Santiago Dellape
  • Duração: 100 minutos
  • Recomendação: 16 anos
  • País: Brasil
  • Ano: 2017
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s