TELEVISÃO

"Xuxa fez besteira ao trocar Globo por Record", diz Boni

Ex-diretor da emissora carioca afirma que apresentadora não terá audiência no canal do bispo Edir Macedo

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Xuxa
A apresentadora Xuxa Meneghel, que assinou com a Record no começo deste ano (Foto: Divulgação)

Ex-diretor da Rede Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, disse, em entrevista ao jornal carioca O Dia, que Xuxa errou ao trocar a emissora do Rio pela Record. “Acho que ela fez besteira. Não vai conseguir brigar com a Globo”, afirmou o ex-chefão na quinta-feira (23). “Se não estava dando audiência na Globo, como ela vai dar audiência na Record.”

+ "Não guardo mágoas da Globo", diz Xuxa ao assinar contrato com Record

Na opinião de Boni, a apresentadora ainda poderá ver sua carreira arranhada. “Não vai conseguir audiência e ainda vai sofrer desgaste.” Ele afirmou ainda que Xuxa deveria ter mantido seu contrato com a Globo e seguido os passos de Renato Aragão, que atualmente se dedica à apresentação do Criança Esperança e participa de especiais de fim de ano. “Ele não podia continuar fazendo programa levando bofetada e caindo de cadeira”, disse ele.

+ Renato Aragão: "Eu não admito que falem mal da Globo"

Responsável pela programação da Globo durante 31 anos, Boni afirmou que continua assistindo as atrações da emissora. Atuando hoje como consultor, ele diz que o conteúdo é a essência de um programa na TV. Segundo ele, esse é o maior problema da Record e que por isso Xuxa terá dificuldades no canal do bispo Edir Macedo. “Difícil a Record arranjar um bom conteúdo para ela.”

José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, empresário
Boni, ex-diretor da Globo : críticas à rainha dos baixinhos (Foto: Dedoc Abril)

+ Xuxa mostra momentos íntimos da família

Na entrevista ao jornal do Rio, Boni falou ainda sobre a polêmica envolvendo o beijo gay protagonizado pelas atrizes Fernanda Montenegro e Nathália Timberg na novela Babilônia. "As novelas não funcionam ou deixam de funcionar por causa disso. É uma reação passageira. O que determina o sucesso é se a trama está correta ou não. Se eu soubesse que o público ia acompanhar a história com interesse, eu não vetaria beijo gay", disse.

Fonte: VEJA SÃO PAULO