Criminalidade

Viúva admite que tinha caso com zelador suspeito de matar o marido

Em depoimento, porém, Kátia Gonçalves de Queiroz negou gravidez e tentativa de extorsão; o crime aconteceu em Perdizes

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Katia Queiroz
A vendedora Kátia Gonçalves de Queiroz prestou depoimento na delegacia na terça (14) (Foto: Marcelo Goncalves/Sigmapress/Folhapress)

A viúva do motoboy morto em Perdizes na última quinta (9), Kátia Gonçalves de Queiroz, de 28 anos, confirmou que mantinha desde janeiro um caso com o zelador Francisco da Costa Silva, de 31 anos, suspeito do crime. A vendedora prestou depoimento para a polícia nesta terça (14). Ela, porém, negou que tenha tentado extorquir Silva, afirmando ainda que não está grávida.

+ Tesoureiro do PT é preso pela Polícia Federal

Após o crime, o zelador se entregou para a polícia no dia 10. Em depoimento, ele afirmou que mantinha um caso com Kátia desde janeiro. Silva disse também que comprou uma arma para se proteger. Além disso, ele afirmou que estava sendo extorquido pelo casal, que pedia 542 reais para não contar para a sua mulher sobre o romance.

+ 87% defendem a redução da maioridade penal, aponta Datafolha

A polícia encontrou um exame com o nome de Kátia no local do crime. Por isso, pediu um teste de DNA para comprovar a paternidade. Ao deixar a delegacia, a vendedora disse que nunca esteve grávida. O celular da viúva também foi apreendido para auxiliar nas investigações.

Julio Cesar
Júlio César e Kátia Queiroz: motoboy foi morto em Perdizes (Foto: Reprodução/Facebook)

O motoboy Júlio César Galvão, de 26 anos, foi morto na Rua Apinajés, em Perdizes, na Zona Oeste de São Paulo, na última quinta. Imagens de câmeras de segurança demonstram Silva com uma arma na mão perseguindo a vítima, que foi atingida por dois tiros. Segundo testemunhas, o zelador fugiu em um carro popular de cor prata.

+ Confira as principais notícias da cidade 

O síndico do prédio, conhecido por Donil, disse que Silva trabalhava há seis anos no local. Ele tem uma filha de 12 anos e é casado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO