Crime

Madrugada na Virada Cultural tem arrastões e cinco baleados

Outras duas pessoas foram atingidas por golpes de faca e cerca de 100 pessoas tentaram invadir uma base militar da PM, segundo informações da Polícia Militar 

Por: Redação Veja São Paulo - Atualizado em

Palco Carlos Nazaré
Público no Palco Carlos Nazaré (Foto: Marcus Oliveira)

Após um início de noite tranquilo, a madrugada na Virada Cultural foi marcada pela insegurança. A Polícia Militar registrou casos de arrastões, tentativas de homicídio e até de uma invasão a uma base policial. Delegacias na região central e em Bom Retiro ficaram movimentadas, principalmente a partir das 23h de sábado (17). Na manhã de domingo (18), os registros de ocorrência continuavam a chegar nos 1º, 2º e 3º Distrito Policial, que atendem a área da Virada. 

+ Acompanhe a cobertura completa do evento

Até as 12 horas deste domingo (18), 59 pessoas haviam dado entrada na Santa Casa, todas vindas de regiões do centro onde aconteciam os shows - a assessoria do hospital não sabe precisar se as ocorrências estão necessariamente relacionadas à Virada. A maioria dos casos é de intoxicação alcóolica ou ferimentos leves.

Das 59, sete pessoas continuam internadas: cinco foram baleadas e duas esfaqueadas. O estado de saúde dessas pessoas é considerado estável pela Santa Casa. 

Ocorrências

Às duas da manhã, um homem foi atingido com golpes de faca nas costas e no tórax na Rua Coronel Xavier de Toledo, perto do Shopping Light, e teve que ser socorrido por bombeiros. Por volta desse horário, um crime semelhante ocorreu na Rua Carlos de Souza Nazaré: uma vítima foi internada após sofrer facadas nas costas. Os dois estão na Santa Casa. 

+ Vanusa erra letra de música em show na Virada

+ Ira! volta aos palcos e canta para plateia saudosa

Dos cinco baleados, dois foram vítimas dos disparos durante um arrastão entre as ruas Santa Efigênia e General Osório. Uma mulher de 40 anos foi atingida na panturrilha. Já um rapaz de 17 anos teve o braço machucado. Os dois foram encaminhados para o pronto-socorro da Santa Casa. O caso foi registrado na 3ª DP, que atendeu aproximadamente cinquenta ocorrências durante o evento.

Arrastões

A partir das 22h, arrastões assustavam o público em vários pontos da Virada. Enquanto a plateia assistia ao show de Guilherme Arantes no Palco Líbero Badaró, brigas e roubos ocorriam perto do local. Muitas pessoas passaram correndo com medo dos ladrões. Rapidamente, policiais militares chegaram na região.

No Arouche, a reportagem encontrou dois adolescentes que foram roubados por um grupo formado por aproximadamente trinta rapazes. Na República, policiais revistavam diversas pessoas. Perto da estação de metrô de Santa Cecília, na Barão de Tatuí, 21 pessoas foram presas após furto. Já na São Bento, 30 pessoas foram detidas tentando fazer um arrastão.

Uma loja de roupas na rua 25 de Março foi arrombada e saqueada durante a madrugada. A polícia conseguiu prender uma pessoa, que foi  levada para a 1ª DP. Perto dali, o show da banda Pollo foi cancelado por falta de segurança. A banda se apresentaria no Palco 25 de Março, Às 4h de domingo (18).

Dois policiais foram feridos. Um oficial se machucou quando cerca de 100 pessoas tentaram invadir a base da PM na Rua Lucrécia. Na 25 de Março, um PM foi atingido por uma pedrada no rosto. Ele teve corte no supercílio e não precisou ser levado ao hospital.

Fonte: VEJA SÃO PAULO