Sem briga

Veja as melhores peças para os homens e para as mulheres

Problemas para escolher que espetáculo assistir? Conheça nosso roteiro que agrada mais aos homens ou mais às mulheres

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

montagem-pecas-ele-e-elas
Mulheres Alteradas para elas e Boca de Ouro para eles (Foto: Divulgação)

A hora de escolher uma peça pode virar um grande dilema para alguns casais. Pensando nisso, selecionamos espetáculos que vão agradar às mulheres e outros que têm mais a cara dos homens. Assim, todos ficam felizes. Veja nossas opções.

PARA ELAS

"Camille e Rodin"
Leopoldo Pacheco e Melissa Vettore: Auguste Rodin e Camille Claudel sob a visão íntima (Foto: Veja São Paulo)

Camille e Rodin

O drama mostra de forma sensível o complicado relacionamento de quinze anos entre o escultor Auguste Rodin (1840-1917) e sua discípula Camille Claudel (1864-1943). Recém-chegada a Paris, a jovem Camille (interpretada por Melissa Vettore) torna-se amante de Rodin (papel de Leopoldo Pacheco). A intuição dela e o apuro técnico dele criam um embate marcado pela competitividade e pelas diferentes visões de geração e do amor. Porque elas vão gostar: Camille Claudel foi uma figura fascinante que teve um fim trágico por ser uma mulher de atitude em uma época que isso não era permitido. Para ver e refletir sobre o papel da mulher no passado e hoje em dia.

Mulheres Alteradas
Mel Lisboa, Daniele Valente, Luiza Tomé e André Bankoff: Mulheres Alteradas (Foto: Lenise Pinheiro)

Mulheres Alteradas

A argentina Maitena Burundarena conquistou leitores pelo mundo com a exata noção de quanto as mulheres podem perturbar o sexo oposto quando se “alteram”. Se Maitena transmite isso nas charges, a montagem dirigida por Eduardo Figueiredo é fiel ao espírito da desenhista. Por que elas vão gostar: As tiras de Maitena fazem um retrato feminino muito preciso e engraçado sem estereótipos e a peça tenta seguir a mesma regra.

"Cabaret"
Jarbas Homem de Mello, Guilherme Magon e Claudia Raia em Cabaret (Foto: Veja São Paulo)

Cabaret

Claudia Raia protagoniza o musical lançado em 1966 e levado às telas pelo diretor Bob Fosse em 1972. Ambientada em uma casa noturna de Berlim na década de 30, a peça aborda o relacionamento da prostituta Sally Bowles (interpretada por Claudia) com o escritor americano Cliff Bradshaw (papel de Guilherme Magon). Por que elas vão gostar: Duas belas e trágicas histórias de amor são retratadas em uma época em que as mulheres começavam a ter um papel mais atuante na sociedade, que estava em frangalhos por culpa das decisões dos homens. E também porque os figurinos são arrazadores.

Maria do Caritó
Lilia Cabral em Maria do Caritó (Foto: Paulo Junior)

Maria do Caritó

Lilia Cabral interpreta com carisma uma solteirona às vésperas de completar 50 anos. Prometida ao fictício São Djalminha depois de um parto difícil, a personagem-título leva seus dias em meio a simpatias em busca de casamento. Por que elas vão gostar: O universo feminino tradicionalmente brasileiro é mostrado com muito bom humor e sensibilidade.

O Incrível Dr. Green
Roberto Rocha e Nyrce Levin estão no elenco de O Incrível Dr. Green (Foto: Otavio Dias)

O Incrível Dr. Green

Ambientada em uma clínica de estética, a comédia musical interessa por trazer um tema atual: a obsessão das mulheres por tratamentos de beleza. Por que elas vão gostar: A atual obsessão pelo corpo perfeito é alvo de crítica da comédia. Faz pensar sobre a realidade estética opressiva que as mulheres de hoje são obrigadas a lidar.

 

PARA ELES

Doze Homens e Uma Sentença
O elenco de Doze Homens e Uma Sentença: o drama dirigido por Eduardo Tolentino de Araújo (Foto: João Caldas)

Doze Homens e Uma Sentença

Criado para um teleteatro, o drama ganhou projeção graças ao filme de Sidney Lumet, produzido em 1957. A história de uma dúzia de sujeitos encarregados de chegar a um veredicto é montada sob a direção de Eduardo Tolentino de Araújo. Por que eles vão gostar: Drama cheio de tensão e suspense com diálogos afiados, os fortes embates entre os personagens exalam testosterona.

Boca de Ouro
Marco Ricca é o protagonista de Boca de Ouro (Foto: João Caldas)

Boca de Ouro

O ator Marco Ricca dá vida ao bicheiro, privilegiando mais seu lado cafajeste e menos a vilania. Nascido na pia de uma gafieira, Boca compensa o complexo de inferioridade trocando a dentadura natural por uma feita de ouro. Por que eles vão gostar: Personagem violento e cafajeste, o bicheiro é um macho-alfa em todos os sentidos. Boca é como um Tony Montana (personagem de Al Pacino no filme Scarface) à brasileira. Que homem não gosta da trajetória de um gângster?

Tim Maia encerra temporada - Danilo de Moura
Danilo de Moura: ator substituiu Tiago Abravanel no papel de Tim Maia (Foto: Caio Gallucci/Divulgação)

Tim Maia – Vale Tudo, O Musical

Danilo de Moura substitui com garra Tiago Abravanel na pele do cantor e compositor Sebastião Rodrigues Maia (1942-1998). À frente de dez atores e sete instrumentistas, ele canta bem e afinado as 25 canções e empenha-se ao dar vida ao personagem, recriado dos 12 aos 55 anos. Por que eles vão gostar: Musicais muitas vezes são vistos como coisa de ‘menininha’, mas Tim Maia teve uma vida para lá de atribulada, com passagens engraçadas e dramáticas na mesma medida. Além disso, nada de musiquinhas tipo Broadway. Aqui tem suingue nacional!

Arte Teatro
Marcelo Flores, Vladimir Brichta e Cláudio Gabriel: companheiros de opiniões distintas (Foto: André Wanderley)

Arte

Tema central da comédia, o limite da tolerância é abordado por meio de piadas nada explícitas. Por que eles vão gostar: Uma comédia não precisa ser chula para que os homens gostem. Arte é um ótimo exemplo de que fazer rir também pode fazer pensar. Neste caso, o universo masculino da amizade permeia a discussão.

Fonte: VEJA SÃO PAULO