SEGURANÇA

TJ manda soltar sargento preso por suspeita de tortura

Desembargador argumentos dos advogados do policial e considerou que não há provas que comprovem o crime

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Preso torturado
Preso afirma ter sido torturado por policial (Foto: Reprodução/TV Globo)

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinou na noite desta sexta (23) a soltura do sargento Charles Otaga, preso por suspeita de torturar um assaltante em Itaquera, na Zona Leste da capital. 

+ PM é preso sob suspeita de tortura e delegado deixa DP escoltado

A decisão foi do desembargador Ronaldo Sérgio Moreira da Silva, da 13ª Câmara Criminal. O magistrado aceitou os argumentos dos advogados de defesa de que não há provas suficientes para manter Otaga preso. Em seu despacho, o desembargador afirma que "a versão apresentada pela vítima de que foi submetida a choques acabou sendo negada pelo laudo de exame de corpo delito". A notícia é do jornal O Estado de São Paulo.

ENTENDA O CASO

A confusão começou na terça (20) quando Afonso de Carvalho Oliveira Trudes, de 23 anos, foi apresentado no 103°DP, em Itaquera, na Zona Leste, mais de uma hora após ter sido apanhado em flagrante por PMs roubando um celular de 60 reais. 

Preso Torturado
Policiais militares se solidarizam com colega preso (Foto: Reprodução/TV Globo)

Na chegada do suspeito ao103°DP, o delegado Raphael Zanon desconfiou que Trudes teria sido torturado ao observar que, durante o depoimento, o bandido sentava-se de lado na cadeira, sem conseguir encostar direito no assento. Trudes contou que estava fazendo isso por causa de ferimentos. Eles teriam sido provocados pela surra que levou de Otaga. O delegado prendeu então tanto o suspeito de roubo como o sargento. Um grupo de aproximadamente sessenta pessoas, entre PMs e familiares dos soldados, realizou um protesto na porta de elegacia e Zanon saiu de lá escoltado por policiais civis. 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO