Comidinha

Temaki na tigela? Conheça o poke, a nova moda gastronômica na cidade

Receita de pegada havaiana leva peixe cru e arroz

Por: Mariana Rosário - Atualizado em

SOCIOS POKE POKE
Chinen, Fittipaldi e Sato: investimento de 1 milhão de reais em quatro unidades (Foto: Gladstone Campos)

Um prato de origem havaiana que anda conquistando os paulistanos mais parece vindo do Oriente. Trata-se do poke, uma mistura de arroz, cubos de salmão ou atum crus, vegetais e frutas, entre morango, abacate e manga. Lembra um temaki na tigela, sem as folhas de alga. Há semelhanças ainda com o peruano ceviche e seu tempero cítrico. Os interessados podem experimentar a novidade culinária surgida nas praias de Honolulu e da Califórnia em pelo menos seis endereços na capital.

+ Facundo Guerra abrirá bar no subsolo do Teatro Municipal

O último deles foi inaugurado no dia 23, no Shopping Eldorado. É a quarta unidade da marca Poke Poke. O negócio chegou por aqui no começo do ano pelas mãos do empresário Alfredo Fittipaldi, que depois se juntou a João Chinen e Karin Sato, irmão da apresentadora Sabrina Sato. Por enquanto, o grupo investiu 1 milhão de reais na empreitada.

Há planos de dobrar o número de unidades até o fim do ano. “Queremos ser uma rede de fast-food especializada na receita”, explica Fittipaldi. Nas lojas, o preço da refeição vai de 13 (potinho de 200 mililitros) a 57 reais (600 mililitros, para até duas pessoas). O valor varia também conforme os ingredientes escolhidos.

poke poke
Uma das opções da Poke Poke (Foto: Gladstone Campos)

Apesar de ter a maior quantidade de filiais, a Poke Poke não foi pioneira na moda na cidade. Em janeiro de 2015, a Mr Poke começou a vender a combinação em eventos e festas. A primeira loja física surgiu em setembro do mesmo ano no hostel moderninho Citylights, em Pinheiros. Ali, servem-se aproximadamente 100 pratos por dia, com preços a partir de 28 reais. Neste mês, deve ser aberto o segundo ponto, na Vila Mariana.

Depois de verem o barco das paleterias naufragar, os amigos Gabriel Fernandes e Ravi Leite também resolveram embarcar no embalo havaiano. Eles administravam a sorveteria de picolés gigantes Me Gusta, cujas duas filiais paulistanas fecharam recentemente. Junto com dois sócios, inauguraram, em agosto, o restaurante Hi Pokee, nos Jardins. “Pretendemos oferecer um produto gostoso e de baixo custo”, afirma Fernandes.

A dupla é formada em gastronomia francesa, mas, tanto no caso das paletas quanto no do poke, optou por arriscar em uma tendência do momento. “Gostamos de ver a reação dos clientes ao provar novidades”, diz. Basta saber se a onda do “temaki na tigela” também não vai morrer na praia.

Poke
Prato do Hi Pokee: salmão, pepino, cenoura, manga, broto de alfafa e massa frita (30 reais) (Foto: Divulgação)

Hi Pokee. Rua Augusta, 2052, Cerqueira César, tel. 3063-5408.

Mr Poke. Rua Padre Garcia Velho, 44, Pinheiros, tel. 3031-7848.

Poke Poke. Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1811, Pinheiros, tel. 2574-5193.

Rua Padre João Manuel, 57, Cerqueira César, tel. 3262-5474.

Shopping Eldorado, tel. 4280-1799.

Top Center Shopping, tel. 2574-5193.

Fonte: VEJA SÃO PAULO