Cidade

Ruas e avenidas homônimas chegam a mais de 700 na capital

Vias não cadastradas e surgimento de novas ruas aumentam a confusão a cada ano

Por: Fernanda Nascimento - Atualizado em

Ruas e avenidas homônimas chegam a mais de 700 na capital Foto 2
Um dos dez endereços batizados em homenagem à cidade: o primeiro, de 1916, na Liberdade... (Foto: Veja São Paulo)

Nem sempre ter o endereço é suficiente para encontrar um destino sem dor de cabeça. Quem procura a Rua da Paz, por exemplo, pode encontrá-la em nove locais, de norte a sul da cidade. Denominações homônimas foram proibidas em 1973, mas muitos nomes registrados até então nunca foram alterados. 'As repetições são comuns, principalmente entre vias não cadastradas oficialmente' explica Maurílio José Ribeiro, chefe da seção de logradouros do Arquivo Histórico Municipal. Há 60 000 ruas e avenidas registradas pela prefeitura e estima-se que 500 novas surjam todo ano. Alterações de nomenclatura representam outras cinquenta ocorrências e só podem ser feitas com aprovação da Câmara Municipal, por meio de projeto de lei. Endereços muito conhecidos, em geral, estão a salvo de mudanças

— uma vereadora já quis rebatizar a Praça da República e não conseguiu.

Segundo o Guia Quatro Rodas 2010, existem mais de 700 logradouros homônimos na capital. 'Geralmente os

nomes têm razões históricas, religiosas ou relação com o bairro', afirma a historiadora Maria Candelária Moraes. Ascampeãs de repetição são as ruas das Flores (dez vezes) e da Paz (nove). Duas avenidas e oito ruas foram batizadas com o nome da cidade de São Paulo -a do bairro da Liberdade, a mais antiga de todas, aparece nos registros desde 1916. Não se sabe ao certo quando as vias começaram a ganhar nomes, mas quase nenhum deles sobreviveu até os dias de hoje. 'Nos primeiros mapas, as sinalizações eram todas na linha ‘a rua que vai para o mosteiro’ ou ‘à direita do pelourinho', conta Maurílio José Ribeiro. Uma das regiões que mais sofrem com o problema é Santo Amaro, que deixou de ser município para se transformar em bairro paulistano na década de 30. Apesar dessa mudança, pouco se mexeu na nomenclatura de seus endereços. 'É muito fácil se confundir', afirma Paulo Roberto Oliveira, taxista há 26 anos. 'Para garantir que se chegará a algum lugar sem confusão, o mais seguro é perguntar ao passageiro em que bairro fica.'

 

POR TODA PARTE

As ruas campeãs de repetição e os bairros onde elas ficam

Rua das Flores — 10 vezes. Grajaú (2), Vila Jacuí (2), Sé, Vila Maria, Itaim Paulista, Tremembé, Jaçanã e Anhanguera

Rua da Paz — 9 vezes. Grajaú (2), Tremembé, Santo Amaro,Anhanguera, Cidade Dutra, Itaquera, Jaçanã e São Miguel

Rua São Paulo — 8 vezes. Liberdade, Morumbi, Sacomã, Jardim Ângela, Jardim Helena, Anhanguera, Cidade Dutra

e Parelheiros

Rua Bela Vista — 5 vezes. Santo Amaro, Grajaú, Tremembé, Jaçanã e Marcilac

Rua São Sebastião — 4 vezes. Vila Maria, Santo Amaro, Saúde e Jardim Ângela

Rua São João — 4 vezes. Grajaú, Anhanguera, Campo Grande e Vila Maria

Rua Vitória — 4 vezes. República, São Miguel, Lajeado e Ermelino Matarazzo

Rua São Benedito — 4 vezes. Pirituba, Santo Amaro, Tremembé e Grajaú

Rua Estados Unidos — 2 vezes. Jardim América e Perus

Fonte: VEJA SÃO PAULO