Zona Leste

Confronto durante reintegração de posse deixa três feridos e 18 detidos

Conjunto de prédios da Caixa Econômica Federal foi invadido por aproximadamente 940 famílias; PM tentava entrar no local quando foi impedida com barricadas

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Uma reintegração de posse de 31 prédios do Conjunto Residencial Caraguatatuba, na Rua Domingos Rubino, em Itaquera, Zona Leste, terminou em confronto entre a Polícia Militar e os moradores, que viviam ali irregularmente desde o ano passado. Para evitar a entrada da PM, os manifestantes fizeram barricadas em ruas que dão acesso ao conjunto. Três pessoas foram detidas e 18 ficaram feridas, segundo a polícia. 

+ Secretário de Cotia é preso por agressão em motel

 + Imobiliária que vetou locação para homossexuais é multada

Perto da entrada principal do condomínio, policiais tentavam avançar com escudos e cassetetes, enquanto moradores jogavam pedras. Por volta das 11h30, os ocupantes começaram a sair dos apartamentos carregando colchões e eletrodomésticos. Às 12h, um apartamento começou a pegar fogo. Em uma quadra, os moradores escreveram frases como "temos crianças nos apartamentos" e as palavras "deficientes" e 'idosos".

O grupo formado por 940 famílias havia ocupado os imóveis em julho de 2013. Aproximadamente 120 policiais da Tropa de Choque, da Força Tática e de batalhões da região participam da ação. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) estima que cerca de 3 000 pessoas estavam na ocupação.

Os imóveis pertencem à Caixa Econômica Federal e são destinados às famílias cadastradas no programa do governo Minha Casa, Minha Vida.

Em nota, “a Caixa esclarece que não negocia com invasores e busca sempre preservar o direito dos reais beneficiários”. O banco afirmou que as obras estavam concluídas e aguardava o processo de legalização para a entrega das unidades aos solicitantes. O sorteio estava previsto para ocorrer entre 7 e 9 de agosto de 2013, mas o empreendimento foi invadido no fim de julho de 2013, impedindo a determinação.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO