Especial

Centro ganha novo espaço cultural para shows, mostras e palestras

Red Bull Station abrigará projetos experimentais de ateliês e estúdios de música em edifício antigo na Praça das Bandeiras

Por: Bruna Ribeiro - Atualizado em

Red Bull Station
Red Bull Station: prédio de 1926 passou por restauração para abrigar espaço cultural (Foto: Ivan Dias)

Um espaço encravado no centro da cidade onde jovens artistas poderão criar, expor e se divertir. Essa é a ideia do Red Bull Station, que abre suas portas na Praça das Bandeiras. De terça a sábado das 11h às 22h, o endereço abrigará projetos experimentais de ateliês e estúdios de música, além de mostras, shows e palestras.

O prédio que ocupa foi construído em 1926 e era sede da Eletropaulo. Em seis meses, o local que estava desativado desde 2004 foi restaurado. As marcantes paredes cinzas e amplas janelas se mantiveram. Objetos de época, a exemplo da bomba de uma fonte que ficava no topo do edifício, viraram parte da decoração. A bomba se tornou os pés de uma mesa coletiva instalada no restaurante, que servirá lanches e refeições ao fundo do pátio de entrada. A intervenção "moderna" ficou por conta de uma escada de ferro que liga todos os andares pelo lado de fora.

Já no primeiro piso estão os estúdios de música. Quem se interessar, poderá fazer gravações por ali. Ou participar de workshops e de apresentação de programas de rádio.

Ainda no mesmo ambiente ficarão as principais exposições da casa. Uma montagem patrocionada anteriormente pela Red Bull vai inaugurar o local. Também será usado para mostrar a criação de seis artistas selecionados pela curadora Paula Borghi, 27, e outros especialistas. Cada um deles ganhou um ateliê individual - todos abertos para o público. Dois laboratórios chamam atenção: o analógico é uma espécie de marcenaria e o digital tem computadores de última geração. A proposta é que dali surjam instalações com diferentes linguagens.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O passeio termina com uma parada na cobertura, onde devem ocorrer as apresentações musicais. A vista de São Paulo é deslumbrante, de noite ou de dia. Uma nova marquise protege os frequentadores do sol e reaproveita a água da chuva. E o chafariz do projeto original está reativado.

A iniciativa de ocupação do prédio é da Red Bull e faz parte de dois projetos: o Histórico House of Art e o Red Bull Studios. Em 2009, dez artistas internacionais ocuparam durante um mês o Hotel Central, na Avenida São João, por exemplo. O evento se repetiu em 2010 e 2011 na cidade, além de passar por países como Portugal, Austrália e Estados Unidos. Na área musical, Nova York, Los Angeles, Paris, Madri, Londres, Amsterdã, Cidade do Cabo, Copenhague e Auckland possuem estúdios. O Red Bull Station é primeiro centro cultural da empresa no mundo.

A programação paulistana começa para valer na quarta (6). A partir das 19h, Letícia Ramos apresentará um trabalho interdisciplinar que explora diversas técnicas artísticas. No dia 12, também às 19h, Thais Rivitti e Natacha Rena vão discutir como projetos culturais afetam uma região.

Fonte: VEJA SÃO PAULO