Cultura

Reabertura do Museu da Imagem e do Som (MIS)

Com perfil mais tecnológico, o MIS reabre após oito meses de reforma

Por: Daniel Nunes Gonçalves - Atualizado em

Fechado para reforma desde dezembro de 2007, o Museu da Imagem e do Som (MIS) reabre no sábado, dia 9. A portaria principal passou para o lado esquerdo do predinho branco da Avenida Europa, praticamente a única mudança externa. Internamente, o espaço para exposições foi ampliado, a área social ganhou um lounge com oito computadores e o restaurante não existe mais. A grande novidade, no entanto, está na programação. Além de retomar os festivais de cinema e vídeo e as mostras fotográficas que fizeram desse um espaço de vanguarda ao ser criado nos anos 70, o MIS renasce com um cardápio multimídia interativo. A mistura de arte contemporânea com computadores, celulares e até GPS virou seu prato principal. Em uma das exposições inaugurais, a multissensorial Lights Out, os visitantes são convidados a cheirar, tocar e comer as obras de arte. Quem experimentar a instalação Reprodutor, da brasileira Rochelle Costi, vai poder desenhar retratos a partir de uma foto que parece flutuar do outro lado de uma placa de vidro. Tudo bem high-tech.

Os efeitos visuais das obras, as apresentações de VJs, as oficinas com criadores de música eletrônica e o website com transmissões ao vivo refletem esse conceito. O auditório de 150 lugares ganhou sistema de som Dolby e vai receber filmes do grande circuito, incluindo sessões infantis aos domingos, às 11 horas. Já o acervo de 300.000 imagens e gravações será reapresentado em recortes audiovisuais propostos por artistas convidados. Na mostra Paradigmas do Experimental, por exemplo, o teórico Arlindo Machado lança um olhar atual sobre 200 preciosidades do arquivo.

O laboratório de novas mídias LabMIS é o maior destaque. Ele ocupa todo o 2º pavimento e inclui uma sala para workshops com doze computadores Apple Imac, estúdio de som profissional e sala de edição de áudio e vídeo suficientes para produzir CDs e longas-metragens, com equipamentos que somam 400 000 reais. Do orçamento de 7,2 milhões de reais do museu para 2008, 3 milhões de reais foram injetados nessa reforma. "A idéia é ampliar o eixo de atuação do MIS para pesquisa, produção e difusão cultural", diz a curadora Daniela Bousso.

• Museu da Imagem e do Som (MIS). Avenida Europa, 158, Jardim Europa, 2117-4777. Terça a sexta, 12h/ 19h; sábados, domingos e feriados, 11h/18h. www.mis-sp.org.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO