Crime

Quatro homens viram réus por racismo na internet contra Maju Coutinho

Justiça aceitou denúncia do Ministério Público e os acusados podem pegar até 20 anos de prisão

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Maju Globo
Maria Julia Coutinho: após ataques, muitos internautas defenderam a jornalista (Foto: Divulgação Globo/Zé Paulo Cardeal)

Quatro homens viraram réus por crimes de racismo nas redes sociais praticados contra a jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, da Rede Globo, segundo informações do Jornal Nacional. As ofensas ocorreram em junho do ano passado. Na sexta (29), o Tribunal de Justiça de São Paulo aceitou denúncia do Ministério Público e os suspeitos agora respondem processo por injúria, falsidade ideológica, corrupção de menores e associação criminosa na internet. Caso condenados, podem pegar  20 anos de prisão. Em entrevista à Rede Globo, todos negaram os crimes.

Maju
Post do Jornal Nacional: Maria Julia Coutinho foi vítima de ataques racistas nos comentários (Foto: Reprodução Facebook)

A denúncia do Ministério Público aponta que Érico Monteiro dos Santos, Rogério Wagner Sales e Kaique Batista são os responsáveis pelo crimes e tiveram a ajuda do profissional de informática Luis Carlos de Araujo. Parte das provas foram recolhidas quando a  polícia apreendeu com Kaíque um computador em dezembro. À época, ele negou que tivesse feito as ofensas. Érico Monteiro dos Santos é tido como o chefe do grupo e, apesar de negar a participação nas injúrias, admitiu em depoimento que promovia ofensas na internet. A Promotoria da Infância e Juventude cuida dos casos de quatros menores de idade também envolvidos no episódio.  

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO