Teste

Avaliação das quadras públicas em São Paulo

Avaliamos os principais espaços; saiba quais os melhores lugares da cidade para bater uma bola

Por: Marcus Oliveira - Atualizado em

Parque Villa Lobos
Um das disputadas quadras de tênis do Parque Villa-Lobos (Foto: Marcus Oliveira)

Quem curte bater uma bola com os amigos e não quer desembolsar com o aluguel de uma quadra, opta normalmente pelos espaços públicos da cidade. Grande parte deles estão em parques, clubes abertos à população e estádios, o que facilita o acesso. O problema é que nem todas estão em bom estado, o que constatamos em visitas a dez delas.

Nas análises, entre os dias 15 e 28 de março, foi possível perceber que grande parte desses espaços precisam de reparos em itens básicos como pintura e manutenção de traves, tabelas e redes.

+ Testamos os principais serviços de aluguel de bike na cidade

Locais muito frequentados, como os parques do Povo, e Villa Lobos apresentam pequenas falhas, mas oferecem condições para reunir os amigos em jogos. Já o “queridinho dos paulistanos”, o Ibirapuera, oferece um bom número de quadras, mas nem todas em perfeito estado. Outro com boa oferta de equipamentos para jogar basquete, vôlei e futebol é o Parque da Juventude, no antigo Carandiru.

Não faltam também exemplos de péssimas condições, como as que encontramos no Parque do Carmo, que possui duas quadras que ficam em um anexo do outro lado da rua onde se localiza o espaço, com ambas apresentando falhas.

O que diz a prefeitura

Alguns dos espaços esportivos fazem parte das estruturas dos parques da cidade, administrados pela Secretaria do Verde e Meio Ambiente. De acordo com o titular da pasta, Ricardo Teixeira, estão previstos R$ 12 milhões em 2013 para as chamadas reformas prediais. Porém, devido à grande falta de manutenção dos espaços verdes, que sofrem com falta de limpeza e segurança, as quadras estão atualmente em segundo plano.

Já a Secretaria de Esporte, que administra locais como Pacaembu e demais ginásios dentro dos centros de treinamento, conhecidos como Clube Escola, informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que a manutenção de traves, tabelas e redes é feita conforme a necessidade de cada um dos clubes. Parte das atribuições dos diretores desses locais é orientar os funcionários para a realização de obras de manutenção de pequeno porte e em caso de reparos maiores, como a pintura e manutenção do piso das quadras e ginásios, cada clube deve procurar o Núcleo de Engenharia e Manutenção da Secretaria de Esportes (Seme) para que o procedimento seja agendado.

Em relação ao material, para uso privado, a Seme indica que os equipamentos sejam levados pelos próprios usuários. Quanto à limpeza, a secretaria informa que varia de clube para clube, mas, no geral, todos os espaços possuem ao menos um funcionário e que realiza o procedimento uma vez por semana.

Entre as dezenas de quadras espalhadas pela cidade, selecionamos algumas das que costumam reunir o maior número de usuários. Confira abaixo a avaliação e saiba onde praticar esporte sem precisar desviar de buracos.

PARQUES

Ibirapuera

Parque Ibirapuera
O Ibirapuera, parque mais procurado para quem quer praticar esporte de graça (Foto: Marcus Oliveira)

Estrutura: o parque recebe cerca de 120 mil pessoas nos finais de semana e isso faz com que os espaços esportivos fiquem abarrotados de gente. Durante a semana, grupos se reúnem no fim da tarde para jogar futebol, vôlei e basquete. Localizadas próximas ao portão 5, ficam de frente para pontos cheio de árvores e muita sombra, no caso de um dia ensolarado

Quadras: duas poliesportivas ativas e uma desativada; quatro de basquete (com linhas para vôlei e handebol); um campinho improvisado; uma quadra de terra. Todas descobertas

Empresta material: não

Avaliação: apresenta falhas na pintura e solo bem gasto, principalmente nos espaços poliesportivos. As traves estão levemente enferrujadas e as redes estão rasgadas, ou faltando - em pelo menos uma delas. Exceção, os espaços dedicados ao basquete estão com as linhas bem desenhadas e nítidas, mesmo aqueles que dividem espaço com vôlei e handebol. As tabelas estão em bom estado e as redes das cestas são feitas de ferro, o que ajuda a conservar por mais tempo

Villa-Lobos

Parque Villa Lobos
A estrutura do Parque Villa-Lobos (Foto: Marcus Oliveira)

Estrutura: quem pretende utilizar as quadras de tênis deve chegar cedo para garantir lugar, especialmente aos sábados e domingos. As partidas devem se limitar a 40 minutos e o local chega a ficar com filas de pessoas carregando raquetes e bolinhas à tira-colo. Para usar o campo de grama é preciso agendar com a administração do parque

Quadras: quatro de basquete de rua, uma de basquete tradicional, duas de vôlei de areia, uma de vôlei tradicional, um campo de futebol de grama, três de futsal, seis de tênis (sendo uma oficial). Todas descobertas

Empresta material: não

Avaliação: as poucas falhas apresentadas se resumem à pintura, em uma das quadras de futebol society. As redes feitas de ferro apresentam alguns furos, mas no geral estão bem conservadas. As tabelas de basquete seguem o mesmo padrão e os espaços dedicados à prática de tênis são considerados pelos próprios praticantes como os melhores para jogar de graça na cidade

Parque do Povo

Estrutura: bem arejadas e com bancos em todo o entorno das quadras, no fim da tarde, os praticantes lotam o espaços e geram, inclusive, times de futebol para revesar. À noite, grupos se reúnem para jogar handebol às terças e quintas

Quadras: três poliesportivas com marcações para futsal, handebol e vôlei, descobertas

Empresta material: não

Avaliação: apresenta problemas na pintura e algumas fissuras nas partes laterais, fora das linhas onde os usuários jogam. Mesmo havendo ferros que pressupõem a colocação de tabelas, não há cestas. As traves estão em bom estado e as redes apresentam alguns furos. Logo atrás dos gols, existem buracos nas grades de proteção, o que faz a bola, por diversas vezes, passar e ter de ser resgatada fora do espaço

Parque do Carmo

Parque do Carmo
O mau estado das quadras do Parque do Carmo: nem as secretarias da prefeitura sabem quem administra os espaços (Foto: Marcus Oliveira)

Estrutura: as quadras ficam em um tipo de anexo do parque, localizado do outro lado da calçada, na equina entre as ruas Gaspar Silva e Afonso de Sampaio e Souza. O espaço é frequentado por moradores da região e monitorado por um segurança. Funciona das 8h às 18h. Por estar fora do parque, ambas as Secretarias de Esportes e do Verde e Meio Ambiente não definiram quem é responsável pelo local, que segue sem manutenção

Quadras: duas com marcação para futsal e vôlei. Ambas descobertas

Empresta material: não

Avaliação: em péssimo estado, as quadras apresentam buracos e falta de manutenção. Apesar das tabelas para basquete, não há marcação de linhas e as cestas estão completamente deterioradas. As traves estão bem enferrujadas e as redes estão praticamente inexistentes devidos aos buracos e furos

Parque da Juventude

Parque da Juventude
Quadras de futsal do Parque da Juventude estão com a pintura em dia (Foto: Marcus Oliveira)

Estrutura: muito movimentado, inclusive durante a semana, atrai principalmente jovens que estudam nas imediações. Oferece um bom número de quadras e modalidades diferenciadas. Quem quiser aproveitar para se arricar no skate, o local possui uma pista em bom estado. Há bebedouros próximos para se hidratar entre uma partida e outra, mas não existem muitas árvores, o que desencoraja a prática em dias muito quentes

Quadras: quatro de futsal, duas de tênis, três poliesportivas, com marcações para basquete e vôlei. Todas abertas

Empresta material: sim; para retirar bolas é preciso deixar o documento de identidade com a administração

Avaliação: os espaços dedicados ao tênis apresentam algumas fissuras no solo e as redes estão com pequenos furos. As quadras de futsal estão com a pintura em dia e as traves, tabelas, redes e cestas em bom estado de conservação 

Parque Zilda Natel

Estrutura: localizada entre a Avenida Doutor Arnaldo é muito frequentada no período da noite por praticantes de basquete e skate. O espaço tem recebido manutenção dos própios funcionários do setor administrativo e as tabelas são conservadas pelos próprios usuários

Quadras: uma de basquete, aberta

Empresta material: sim; bolas de basquete

Avaliação: apresentando falhas na pintura, pouco se vê as marcações nas linhas. As tabelas estão em bom estado e as redes conservadas

Parque da Aclimação

Parque da Aclimação
Tabela de basquete sem aro impede o jogo no Parque da Aclimação (Foto: Marcus Oliveira)

Estrutura: durante o dia, as quadras recebem aulas do Clube Escola e à noite fica disponível para locação. Nos fins de semana, o espaço fica aberto para a população. Alguns problemas de iluminação estão sendo verificados, segundo a Secretaria de Esportes, que garante arrumar os refletores em breve

Quadras: duas poliesportivas e um campo de futebol de grama sintética, todos abertos

Empresta material: não

Avaliação: o campo apresenta bom estado e tanto redes quanto as traves estão bem conservadas. Uma das tabelas de basquete não possui aro, o que tira a possibilidade de jogar. Os espaços poliesportivos estão com a pintura leventemente falhas

 

CLUBES

* Pacaembu

Quadra Pacaembu
Os espaços poliesportivos do Pacaembu: exemplo de conservação (Foto: Marcus Oliveira)

Estrutura: Como todo o espaço é administrado pelo Clube Escola, os usuários devem ficar de olho na programação já estabelecida de aulas, que rolam por lá. Quem preferir locar o espaço, deve entrar em contato com administração. Os valores vão de R$ 55,65 (para a quadra de tênis descoberta) até R$ 1.018,59 (no caso do aluguel do ginásio) por hora. No caso de não haver nenhuma programação, as quadras podem ser utilizadas normalmente

Quadras: uma poliesportiva aberta, duas de tênis (uma coberta de saibro), um ginásio poliesportivo

Empresta material: não

Avaliação: as quadras estão em perfeita conservação. Tanto os espaços dedicados ao tênis (coberto e aberto) quanto as outras quadras possuem materiais como redes, tabelas e traves bem novos. As marcações estão bem nítidas e a pintura sem falhas

* Pelezão

Estrutura: também administrado pelo Clube Escola, o local é muito frequentado por jovens e amigos que locam um determinado horário para jogar. Os espaços seguem o mesmo esquema do Pacaembu. Quando não utilizados para a programação de aulas, podem ser locados mediante pagamento. Porém, o valor é menor, vai de R$ 18,55 (quadra aberta) até R$ 86,45 (ginásio poliesportivo) por hora. No caso de não haver nenhuma programação, as quadras podem ser utilizadas normalmente

Quadras: uma de futebol de areia, um ginásio poliesportivo, cinco de futsal, um campo de futebol com grama sintética, três de tênis (duas de saibro), uma de basquete, uma de vôlei

Empresta material: não

Avaliação: a quadra de futebol de areia possui boas marcações e as traves e redes bem conservados, assim como o campo de grama sintética. Os principais problemas encontrados estão nas quadras de futsal e basquete. Nelas é possível encontrar traves enferrujadas, sem redes, e pinturas falhas. As tabelas também estão em mal estado, com aros quebrados

* Mané Garrincha

Estrutura: recebe muitos grupos de amigos que alugam os espaços na parte da noite para bater uma bola. Nas quadras de tênis é possível encontrar jovens aprendendo suas primeiras tacadas. O valor para aluguel variam de R$ 18,55 (quadra aberta) até R$ 86,45 (ginásio poliesportivo) por hora. No caso de não haver nenhuma programação, as quadras podem ser utilizadas normalmente

Quadras: duas quadras de tênis, uma quadra de futebol, um ginásio poliesportivo

Empresta material: não

Avaliação: as quadras de tênis estão em bom estado e com a pintura em dia. O ginásio apresenta boa iluminação, porém há muita poeira e falta de limpeza, o que faz com que os atletas precisem se equilibar enquanto praticam alguma das modalidades

*Para utilização dos espaços, é preciso fazer um carteirinha levando duas fotos, e cópias de comprovante de residência e documento com foto

Fonte: VEJA SÃO PAULO