Moda

Pulseira do equilíbrio vira febre entre os esportistas

Acessório promete harmonizar o corpo com a mente em várias situações do cotidiano. A moda está nos braços de atletas como Neymar e Rubens Barrichello

Por: João Batista Jr. - Atualizado em

Giuliana Masiviero 2177
Modelo Giuliana Masiviero, com o acessório no destaque (Foto: Fernando Moraes)

O atacante santista Neymar exibe o acessório transparente no pulso esquerdo, o ídolo da seleção portuguesa e do Real Madrid Cristiano Ronaldo aparece cada hora com um modelo de cor diferente para combinar com seus figurinos justos e o piloto Rubens Barrichello, de tão vidrado, usa um em cada braço para disputar as provas de Fórmula 1.

O objeto de desejo da vez entre esportistas é uma pulseira que vem com dois hologramas redondos, com cerca de 1,5 centímetro de diâmetro cada um. Há versões de tecido ou neoprene. Fabricado pela empresa americana Power Balance, o acessório seria capaz de deixar o corpo em equilíbrio. Mas não no sentido figurado.

Os crédulos confiam que a pulseirinha — vendida nas lojas de artigos esportivos por, no mínimo, 120 reais — daria resistência, flexibilidade e harmonia ao corpo e à mente. “A última Copa do Mundo ajudou a divulgar nosso produto”, diz Paulo Silvares, diretor da On The Beach, importadora da marca. “Diversos jogadores exibiram a peça em campo.” A empresa não divulga números de vendas. A loja de artigos esportivos Bayard do Shopping Pátio Higienópolis comercializa trinta unidades por dia. “Há dois meses, não saía um terço disso”, conta a gerente Tatiane Bellicel.

Rubinho Barrichello 2177
Isso, sim, é querer estabilidade: Barrichello usa uma em cada pulso (Foto: Clive Mason/Getty Images)

Figuras conhecidas e anônimos encamparam a moda. A modelo Giuliana Masiviero ganhou seu bracelete há um mês e meio. Usou por três dias, mas decidiu deixá- lo de lado. Isso até ver o pediatra de sua filha com um deles, duas semanas depois. “Cheguei em casa e fui direto pegá-lo de volta na gaveta”, diz. Desde então, ela credita à pulseira o sono mais tranquilo e a ansiedade controlada. “Na verdade, é preciso crer no efeito dele. E eu acredito.”

Seja no ambiente de trabalho, seja em festas, os entusiastas dos tais poderes exercidos pelo objeto fazem questão de dar provas de veracidade aos amigos. O teste mais conhecido consiste em pedir à cobaia que tire um dos pés do chão para ver como reage quando submetida a um leve empurrão. Em seguida, deve-se repetir o procedimento com o holograma no pulso.

Os adeptos afirmam ser batata a suposta resistência adquirida com a pulseirinha. Os especialistas torcem o nariz. “Tudo não passa de um engodo”, diz o físico Marcos Duarte, do departamento de biodinâmica do corpo da Universidade de São Paulo. “Hologramas,  como os presentes em cartões de crédito e ingressos, não alteram a dinâmica da massa do corpo humano em relação ao ambiente.” Em suma: criada para dar equilíbrio, a pulseira é um ótimo acessório fashion.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO