Violência

Publicitária é agredida em briga de trânsito no Jardim Europa

Além de ofender, o motorista de uma caminhonete Hilux empurrou e acertou um soco no rosto de Jessica Otte

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com - Atualizado em

A publicitária Jessica Otte, de 24 anos, foi agredida no rosto durante uma discussão de trânsito no Jardim Europa, na Zona Sul, na tarde de sábado (23). Segundo Jessica, ela estava dirigindo na Rua Groenlândia quando, parada no sinal vermelho, deu um beijo na esposa, a também publicitária Amanda Carbone. Jessica não sabe dizer se foi o gesto de carinho ou a demora em engatar a primeira marcha quando o sinal abriu, mas, de acordo com o relato que postou no Facebook, começou a "tomar inúmeras buzinadas sem razão" de uma caminhonete Hilux que vinha logo atrás. 

+ "Queria que ele aparecesse para se desculpar", diz publicitária agredida

Na esquina da Groenlândia com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio, o motorista da Hilux encostou o carro no de Jessica, um Fiesta vermelho. "Eu baixei o vidro e fiz sinal com a mão para ele passar, porém o farol estava vermelho. Sem motivo algum, o ser humano dá uma pequena ré e bate em meu carro. Não satisfeito, dá ré novamente e dá outra pancada", relatou. Quando finalmente desceu do carro para ver se a batida tinha causado algum estrago maior, Jessica afirma que foi recebida com ofensas "das mais baixas possíveis", além de ironias por causa do beijo dado em Amanda.

Jessica Otte - agressão
Motorista encostou no carro de Jessica (Foto: Reprodução/Facebook/Jessica Otte)

Ela diz que deu um tapa na porta da Hilux e fotografou a placa do carro. Foi quando levou um soco do motorista seguido de vários empurrões. A mulher do dono da Hilux, que assistia a cena, saiu do veículo e também empurrou Jessica. Nesse momento, Amanda ligou para a polícia e o casal da Hilux fugiu. O caso foi registrado no 15º DP. 

Apesar das suspeitas de homofobia por parte do casal, a publicitária diz que isso não ficou claro. "Gente, eu sei que ele pode ter sido homofóbico, mas tudo é uma questão de interpretação e a única coisa da qual eu quero justiça é a de agressão, que é explicita e imparcial", escreveu no Facebook. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO