Tecnologia

Os prós e contras dos pagamentos com smartphone

Testamos os três apps disponíveis no mercado

Por: Sophia Braun

Aplicativos PicPay
Cliente pagando com o PicPay: apenas duas etapas (Foto: Divulgação)

Para checar se funcionam mesmo os aplicativos que permitem pagar a conta em restaurantes, bares e até docerias apenas com o celular, a reportagem de VEJA SÃO PAULO avaliou as três plataformas disponíveis. A primeiro foi o KiiK, em testes nas unidades da Confeitaria Dama, em Pinheiros e Higienópolis, desde novembro de 2013. O processo levou menos de cinco minutos, do cadastro ao momento de digitar o código de segurança do cartão. O sistema deve agradar principalmente aos grupos de amigos, pois possibilita que cada cliente selecione e pague apenas o que consumiu, incluindo os 10% de taxa correspondente.

+ Saiba mais sobre os aplicativos que permitem pagar contas

Na terça (14), experimentamos o PicPay que é também uma carteira virtual (mobile wallet). Na prática, essa função permite que, por meio de sua conta,  o usuário transfira pequenas quantias para outras pessoas. Com isso, é possível, por exemplo, organizar um churrasco com os colegas e mandar via app o dinheiro da festa, ao invés de fazer a “vaquinha” durante o encontro ou usar serviços bancários. Da parte dos estabelecimentos, é possível premiar os frequentadores, numa espécie de programa de fidelidade. Foi assim que, ao acionar o software na doceria Le Jardin Secret, na Vila Madalena, ganhamos um desconto de 5 reais. Ponto para o PicPay. Por outro lado, ao contrário dos concorrentes, ele não exibe a conta na tela do telefone.

A experiência com o Snappin, por sua vez, não foi tão positiva. Na noite de quarta (22), no Boteco Ferraz, no Itaim Bibi, pedimos dois chopes. Um formulário de papel foi deixado sobre a mesa com a marcação dos copos solicitados. Quando tentamos pagar digitando o número da nota no app, ele abriu uma caixa de texto com a mensagem: “cliente sem comanda”. Depois de idas e vindas do garçom, encarregado de checar o que poderia ter ocorrido, informaram ser necessário pedir a conta antes, para que os funcionários lançassem a bebida no sistema. Só depois poderíamos efetuar o pagamento via mobile. Teria sido mais ágil pagar do modo tradicional. Talvez o aplicativo funcione melhor em baladas, meio para o qual ele foi desenhado.

Apps na balança

Aplicativo KiiK
KiiK: visualize a comanda e escolha o que vai pagar (Foto: Reprodução)

Sinal verde

■ Permite ao usuário selecionar os itens que vai pagar

■ Mantém um histórico dos pagamentos

■ Envia recibos das compras por e-mail

■ Exige o código de segurança do cartão cadastrado para efetuar as transações

Sinal vermelho

■ É preciso pedir a conta impressa antes de dar início às transações no telefone

■ Ainda não permite visualizar o cardápio ou fazer o pedido via mobile

Aplicativo PicPay
PicPay: plataforma de pagamentos e mobile wallet (Foto: Reprodução)

Sinal verde

■ Permite transferir dinheiro para outras pessoas por meio do aplicativo

■ Possibilita que os estabelecimentos criem promoções e programas de fidelidade

■ Mantém um histórico dos pagamentos

Sinal vermelho

■ Não exibe a comanda com os itens consumidos

■ Ainda não permite visualizar o cardápio ou fazer o pedido via mobile

Aplicativo Snappin
Sanppin: evita fila em bares e baladas (Foto: Reprodução)

Sinal verde

■ Pede uma senha para abrir o aplicativo

■ Permite pagar mais de uma comanda ao mesmo tempo

Sinal vermelho

■ Nem sempre é possível pagar a conta sem intermédio do garçom

■ Ainda não permite visualizar o cardápio ou fazer o pedido via mobile

Fonte: VEJA SÃO PAULO