TRÂNSITO

Prefeitura vai cancelar multas aplicadas na Sena Madureira e na Braz Leme

Vias, cujos limites de velocidade foram reduzidos, tinham sinalização conflitante, o que confundiu motoristas

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

Senam Madureira
Rua Sena Madureira, na Vila Mariana: confusão após redução de limite de velocidade (Foto: Reprodução)

A prefeitura de São Paulo vai cancelar as multas aplicadas a motoristas que transitaram na Rua Sena Madureira e na Avenida Braz Leme. As duas vias tiveram seus limites de velocidade reduzidos de 60 quilômetros por hora para 50 quilômetros por hora. Quem passou pelas pistas nos últimos dias, no entanto, percebeu problemas na sinalização. Havia trechos com placas de 50 quilômetros por hora e outras indicavam o antigo limite. 

+ Velocidade máxima será de 50 km/h em toda a capital até dezembro

"Se houve aplicação de multas hoje, elas serão canceladas", disse o secretário secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. A autuação, porém, continua valendo para os motoristas que ultrapassaram os 60 quilômetros por hora nas duas vias e foram flagrados pelos radares. 

+ Faustão ironiza redução de velocidade nas marginais

Tatto cobrou atenção dos motoristas e avaliou que eles se acostumarão à mudança, o que deve reduzir eventuais confusões sobre qual limite seguir. "A orientação (para a Companhia de Engenharia de Tráfego) é para sinalizar, avisar com antecedência. Eles (CET) têm um plano e estão implantando a mudança. Vamos acelerar isso, até para o motorista não começar a se confundir. Até porque você tem a via principal que tem 50 e via secundária que tem 60. É uma fase de transição. É um momento de mudança, e o motorista tem de estar mais atento."

+ A redução da velocidade máxima nas Marginais exige atenção dos paulistanos

Embora Tatto afirme já ter resultados preliminares que mostram redução dos acidentes em locais onde a velocidade máxima baixou, representantes da sociedade civil mantêm críticas à medida. Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), criticou a rapidez com que o prefeito tem adotado a redução das velocidades na cidade. "Ele (Haddad) não espera resultado para ter certeza de que as medidas tomadas são favoráveis à população. Ele faz uma mudança em cima da outra e vai se arrepender de fazer coisas sem o devido estudo e sem escutar a população", afirmou.

Burti, que opina ser "uma lástima" andar de carro pela cidade, diz se preocupar com o resultado das medidas no comércio. "Se as vias que levam às marginais (do Tietê e do Pinheiros) começarem a ficar congestionadas pela redução da velocidade, vai ser um caos para o comércio", argumentou o presidente de ACSP. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO