Perfil

Fábio Yabu faz sucesso com versão de terror para a história do Brasil

Quadrinista ganha fãs com livros que misturam zumbis, vampiros e Dom Pedro I 

Por: Mariana Barros - Atualizado em

Fabio Yabu
O roteirista Fábio Yabu, que assina sob o heterônimo Abu Fobiya: o imperador virou um herói musculoso na ficção (Foto: Fernando Moraes)

Muito folclore existe em torno da figura da rainha de Portugal e mãe de dom João VI, que ficou conhecida como Maria, a Louca (1734-1816). No livro em quadrinhos Independência ou Mortos (Editora Nerd Books; 160 páginas; 49,90 reais), seu comportamento pouco convencional ganha uma explicação fora do comum.

+ Leia trecho de Independência ou Mortos

Na verdade, ela seria um zumbi, criatura morta-viva que desembarca no Brasil e perambula pelas ruas atacando seres humanos e convertendo-os em monstros descerebrados. Em um enredo sangrento de terror fantástico, entram em cena outros personagens, como o próprio dom João VI e Carlota Joaquina. De longe, o papel mais surpreendente é o de dom Pedro I.

Cabe a ele a missão de combater a epidemia de criaturas fantásticas, com os músculos bombados, o pujante bigode e a impressionante libido. Pesquisadores do período do Brasil Colônia não acharam a menor graça no enredo. “Isso é um esculacho, uma piada”, critica Marcos Antonio da Silva, do departamento de história da USP. Já os fãs do gênero adoraram o negócio. “Reli três vezes e costumo voltar a folhear só para apreciar as ilustrações”, diz o publicitário Guga Mafra, 34. “O capricho de cenas e enquadramentos é bem acima da média.”

Lançado em setembro do ano passado (no Dia da Independência, é claro), o título virou um dos grandes best-sellers dos últimos tempos no gênero HQ para adultos no país. Vendeu até agora mais de 10 000 exemplares e três produtoras de cinema, entre elas uma estrangeira, se mostram interessadas em adaptá-lo para as telas.

Fabio Yabu
(Foto: Reprodução)

O responsável pelo trabalho é Fábio Yabu, de 33 anos, escritor e desenhista que fez carreira no universo infantil com dezenas de livros, entre ficções juvenis e títulos adotados pelo MEC como material de apoio pedagógico. Antes dos mortos-vivos, ele era mais conhecido como o criador da coleção Princesas do Mar, publicada a partir de 2005 pela editora Panda Books.

O sucesso transformou Princesas em série de TV exibida em 47 países e inspirou dezenas de produtos licenciados. Com o objetivo de diferenciar suas histórias para crianças das soturnas histórias de zumbis, Yabu criou um heterô-nimo, Abu Fobiya, com o qual assina Independência e outros dois livros: Protocolo Bluehand: Zumbis e Branca dos Mortos e os 7 Zumbis. Os três foram lançados pela Nerd Books e são comercializados apenas pela internet (www.nerdstore.com.br).Em conjunto, venderam mais de 27 000 exemplares.

Os títulos vêm na esteira do sucesso da produção americana de TV The Walking Dead, que estreou no Brasil em 2010 e está em sua terceira temporada. Desapontado com o fim da primeira parte da série, Yabu resolveu criar sua própria zumbilândia. “Sempre gostei do tema”, conta ele, que se lembra de quando assistiu, aos 8 anos, ao filme A Noite dos Mortos-Vivos (1968), do diretor George A. Romero, considerado um clássico do gênero.

Nascido em Santos, Fábio veio para São Paulo aos 19 anos e chegou a estudar design gráfico na Faculdade de Belas Artes, mas não se formou. Mora hoje no Itaim Bibi, é casado com uma publicitária e tem uma filha de 2 anos chamada Luna. O “rei dos zumbis” segue uma rotina para lá de pacata. Todos os dias, leva a menina à escola e a busca. É responsável também por lhe dar jantar e banho. O trabalho de pai já serviu de inspiração para criar no computador suas histórias de monstrengos. Cansado de tanto ler Branca de Neve para Luna, fez uma versão de terror do conto. “Foi a minha vingança”, brinca.

› A epidemia de monstros - somados, os três livros do autor já venderam mais de 27 000 exemplares:

Fabio Yabu
Independência ou Mortos (49,90 reais): Para inserir zumbis na história brasileira, Yabu se valeu de meses de pesquisa e reescreveu a narrativa sete vezes, algumas delas exterminando personagens. O ilustrador Harald Stricker levou dois anos para finalizar a HQ. (Foto: Reprodução)
Fabio Yabu
Branca dos Mortos e os 7 ZuMBis (45 reais): o livro de contos traz onze histórias de terror com vilões que vão de zumbis a psicopatas. O título da primeira dá nome ao livro, que tem ilustrações de Michel Borges. (Foto: Reprodução)
Fabio Yabu
'Protocolo Bluehand: ZuMBis' (45 reais): Com o subtítulo de 'Seu Guia Definitivo contra os Mortos e os Vivos', é uma obra coletiva de Yabu e de dois autores cariocas radicados em Curitiba, Alexandre Ottoni e Deive Pazos. Ilustrações de Márcio L. Castro (Foto: Reprodução)

Fonte: VEJA SÃO PAULO