Paulistanos Nota Dez

Pedagogo fundou escola de bateria para deficientes físicos

Paul Lafontaine estava indeciso sobre sua profissão e deu um passo importante na carreira de músico: criou a escola Alma de Batera

Por: Luan Flávio Freires - Atualizado em

paul002
Paul Lafontaine: "A ideia é usar a música para desenvolver a memória e a coordenação motora" (Foto: Fernando Moraes)

Quando fez 26 anos, Paul Lafontaine estava indeciso sobre qual rumo tomaria. Apesar de ser fissurado por bateria, a carreira como músico não deslanchava. Tocava quase diariamente em barzinhos, sem muitas perspectivas. Uma nova frente de possibilidades se abriu quando começou a atuar como voluntário em entidades como o Clube Hípico de Santo Amaro, responsável por um programa de equoterapia (trabalho educativo que envolve cavalos voltado para pessoas com necessidades especiais). A experiência o inspirou a criar em 2008 a Alma de Batera, projeto para ensinar portadores de síndrome de down, autismo e outras deficiências a tocar o instrumento. “A ideia era usar a música para desenvolver a memória e a coordenação motora dos garotos”, conta.

+ Cinco vezes fofura: como vive um casal e cinco bebês

+ Conheça Regina Pinho de Almeida, a mecenas de Pinheiros

No ano passado, mais de trinta aprendizes frequentaram as atividades. Elas ocorrem em espaços cedidos por instituições como a Associação para o Desenvolvimento Integral do Down, no Campo Belo. As aulas duram cerca de uma hora e meia. A tarefa dos alunos é acompanhar na bateria faixas de bandas de rock. A emoção é visível sempre que entram no compasso. Uma vez,  um pupilo, fã do Kiss, abraçou o mestre depois de conseguir tocar um dos hits da banda. “Ele me disse que eu era o melhor professor do mundo”, lembra Paul. “Com isso, vi que não podia parar.”

+ Banco de Lenços ajuda mulheres que enfrentam quimioterapia

+ Ferramentas para celulares são novas aliadas para vestibulandos

A prioridade do momento é buscar patrocinadores para montar uma sede própria e aumentar o número de instrutores. O projeto já chamou a atenção de instrumentistas profissionais. Paulinho Fonseca (Jota Quest) e André Jung (exIra!) estão entre os que já participaram das aulas e ajudaram na divulgação pelas redes sociais. João Barone foi além e levou a garotada para ver a passagem de som dos Paralamas do Sucesso no Citibank Hall em 2015. “O trabalho do Paul é sensacional”, elogia o baterista e parceiro de Herbert Vianna e Bi Ribeiro.

Alma de Batera: (11) 96170-4557 - www.almadebatera.com.br

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO