Riviera

Como se divertir praticando futebol de areia

Bola e praia sempre foram a combinação perfeita do verão. E o futebol de areia ganha cada vez mais adeptos. Veja ideias e cuidados básicos para se divertir e entrar em forma

Por: Nextel - Atualizado em

nativa nextel3
(Foto: Istockphoto)

O futebol de areia não poderia ter outro berço: nasceu no Brasil e foi popularizado no mundo por craques como Júnior e Ronaldinho Gaúcho.

A modalidade é muito ágil e cheia de improvisos –os jogadores chegam a chutar a gol 60 vezes em uma partida. Além disso, proporciona novos amigos, e o material básico é apenas uma bola”, explica Francisco Noronha, ex-jogador profissional com oito títulos pelo campeonato gaúcho como treinador.

Longe dos campos profissionais, os frequentadores de praia fazem uma mistura informal das regras dessa jovem modalidade com as de futebol de campo e futsal. É válido também, desde que cuidados básicos sejam priorizados. “É preciso sempre fazer uma avaliação prévia da saúde. Além disso, no calor, o risco de desidratação e hipertermia é ainda maior, o que demanda boa hidratação e proteção do sol”, adverte Marcelo Aragão, cardiologista e médico do esporte. Outro cuidado importante e pouco divulgado para jogar na praia é com a pele dos pés. “Com as altas temperaturas, deve-se ter muito cuidado com as queimaduras e bolhas nas solas. Indicamos o uso de meias quando a areia estiver muito quente”,  sugere Nereu Maidana, presidente da Confederação Brasileira de Futebol de Areia.

Atletas de fim de semana

Para quem só se dedica ao esporte em sábados e domingos, um alerta: de acordo com pesquisa  publicada pelo Journal of American Medical Association, atletas de fim de semana têm 2,7 vezes mais risco de desenvolver problemas cardíacos do que pessoas que fazem atividades físicas regularmente. Exercícios de alto impacto são mais arriscados ainda. “O corpo necessita de um condicionamento aeróbico, que não é alcançado com atividades físicas esporádicas”, afirma Aragão. Ele descarta atividades intensas, como corridas e partidas competitivas de futebol para esse público. Entretanto, o cardiologista explica que esportes leves proporcionam bem-estar sem danos. “São aconselháveis caminhadas, passeios de bicicleta ou atividades aquáticas leves. Assim, é possível evitar lesões articulares e musculares e sobrecarga ao sistema cardiovascular”, diz.

Ideal mesmo é adicionar algumas horas de atividades durante a semana. É o caso do advogado Corinto Baldoino Costa, de 42 anos. Os esportes sempre fizeram parte de sua vida – do surfe à corrida. Mas foi o futebol que o acompanhou em todas as fases. Há quatro anos, o trabalho engoliu seu tempo livre e o futebol ficou restrito a sábados e domingos. Mas em 2014 o advogado priorizou a volta das atividades físicas. Decidiu dedicar-se ao futebol e ao frontão (tênis jogado em dupla em um paredão), começando a se exercitar depois do trabalho. Hoje, consegue também intercalar uma seção de bike ou de skate e joga bola mais duas vezes por semana. O futebol – e todo o resto – só evolui: "Praticar esportes na semana me proporciona descompressão do estresse e sensação de vigor físico. Não quero voltar à situação de alguns anos atrás, quando me sentia debilitado e com dores após a atividade física" , lembra Baldoino Costa. 

Para treinar na praia

Francisco Noronha tem uma receita de sucesso para treinar músculos e capacidade cardiorrespiratória nas férias: “Uma brincadeira muito boa e saudável é o famoso ‘bobinho’ ou ‘rodinha’. Em uma roda de jogadores, uma pessoa ao centro precisa tocar na bola para sair do meio ou algum jogador deixar a bola cair no chão para ocupar o seu lugar”, explica. Para crianças iniciantes, Douglas Rodrigues, técnico de futebol e professor de um colégio em Santos, sugere atividade com uma bexiga. Não pode deixar que ela entre em contato com a areia, usando diversas partes do corpo para mantê-la no alto, trabalhando assim uma noção de tempo/espaço. Já para adultos, há diversos tipos de treinos, de acordo com as explicações de Rodrigues:

Altinho: treino de passes em círculo ou em dupla com o objetivo de não deixar a bola cair no chão, usando diversas partes do corpo no controle da bola. Bom para se familiarizar com as “bolas altas” do futebol de areia. 

Gol a gol: atividade na qual jogam um jogador contra o outro. Cada jogador ocupa uma metade do campo em que terá de defender sua meta e atacar a do adversário. O objetivo do jogo é o gol. 

Três dentro e três fora: treino com um goleiro e três ou dois jogadores de linha. É praticado dentro da área penal, e jogam os jogadores de linha contra o goleiro. O gol só é válido se o jogador receber a bola de um companheiro no alto. Os jogadores de linha vencem caso marquem três gols e o goleiro precisa de três bolas para fora para vencer.

Fonte: VEJA SÃO PAULO