Mistérios da Cidade

Novo serviço de lavanderia tem dispositivo de segurança controlado pelo celular

Confira o preço da lavagem de algumas peças

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Lívia Roncolato e Nathalia Zaccaro]

Limelocker
O serviço: são previstas quarenta unidades até novembro (Foto: Fernando Moraes)

Armários verdes instalados em prédios, residenciais ou comerciais, e dotados de dispositivos de segurança semelhantes aos de cofres. Esse é o modelo de um novo serviço de lavanderia, o Limelocker, que começou a operar na semana passada no Pátio Victor Malzoni, na Avenida Brigadeiro Faria Lima. Ao depositar num compartimento as roupas sujas, o usuário acessa um aplicativo no celular e cria uma senha própria, que será inserida no teclado. Dois dias depois, ele retira a encomenda, limpa e passada, no mesmo local. É possível pagar por boleto ou com cartões de débito e crédito. “Até novembro, teremos quarenta espaços na capital”, diz o empresário Luís Mário Bilenky. Abaixo, o preço de algumas peças.

+ Os mais vendidos em restaurantes e lanchonetes

+ O que os paulistanos esquecem dentro dos táxis da cidade

+ Livro dá dicas para praticantes de skate mirins

› Meia: 1,80 real

› Cueca: 1,80 real

› Calcinha: 1,80 real

› Sutiã: 2 reais

› Camisa: 7,50 reais

› Blazer: 12 reais

› Vestido: 15 reais

› Edredom: 15 reais

Fonte: VEJA SÃO PAULO