Memória

Morre, aos 91 anos, a crítica teatral Barbara Heliodora

Especialista em Shakespeare faleceu nesta sexta-feira em hospital no Rio. Velório será neste sábado, no Mermorial do Carmo

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Bárbara Heliodora
A crítica teatral Barbara Heliodora (Foto: Ricardo Moraes/Folhapress)

A crítica de teatro Barbara Heliodora morreu, na manhã desta sexta-feira (10), aos 91 anos. Ela estava internada havia um mês no Hospital Samaritano, em Botafogo, no Rio. Em novembro do ano passado, Bárbara havia ficado pouco mais de uma semana hospitalizada com suspeita de pneumonia. Bárbara deixa três filhas e quatro netos. O velório será realizado neste sábado, no Memorial do Carmo.

+ Confira as últimas notícias 

Nascida em 29 de agosto de 1923, Barbara Heliodora era filha da poetisa Anna Amélia Carneiro de Mendonça e do historiador e jogador de futebol Marcos Carneiro de Mendonça. Em 1944, começou a escreve no jornal a Tribuna da Imprensa e, a partir de 1957, especializou-se em crítica teatral.

Durante sua carreira, ela escreveu para os principais veículos de comunicação do país, sendo o principal deles O Globo, onde atuou por 28 anos. Ela só deixou de escrever para o periódico em dezembro de 2013, já com 90 anos completos.

Sua rigorosidade amedrontava autores e atores. A classe teatral se referia a ela como a "dama de ferro". Seus textos proporcionavam uma experiência completa e complexa no teatro para o público. Em entrevista à revista VEJA, ela deixou claro essa sua característica. "Sou exigente porque vivi bastante para ver teatro muito bom e sei o que pode significar", disse à época. Nos teatros, gostava sempre de sentar nas primeira fileiras para assistir aos espetáculos. Contou, certa vez, ter assistido à mais de 3 500 montagens.

Formada em literatura inglesa, Barbara era especialista em William Shakespeare, seu autor favorito. Em 2011, foi aprovado o projeto do documentário Quem Tem medo de Barbara Heliodora?, que pretende mostrar a vida da crítica. 

Fonte: VEJA SÃO PAULO