Cidade

Marcha da Maconha termina tranquila na Praça Roosevelt

Evento tinha concentração marcada para as 14h mas só caminhou às 16h20

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Marcha da Maconha - 26/4/2014
Mãe carrega cartaz em apoio à Marcha (Foto: Laura Ming)

Neste sábado (26), desde as 14h, a Marcha da Maconha, que pede a legalização da droga, reuniu manifestantes na Avenida Paulista. A concentração, marcada para ocorrer no vão do Masp, ponto tradicional de troca de figurinhas da cidade, quase cancelou o encontro dos colecionadores de figurinhas, porém, com o "atraso" de mais de duas horas para o começo da passeata, todos tiverem seu espaço garantido.

A página oficial do Facebook da Marcha contava com aproximadamente 10 000 pessoas confirmadas. A organização da passeata fechou uma das faixas da Paulista e seguiu até a Praça Roosevelt, sem que nenhum ato de vandalismo fosse cometido. A polícia acompanhou tudo de perto.

Segundo a organização, ao menos 12 mil pessoas passearam pelas ruas do centro pedindo a legalização do uso da maconha. A Polícia Militar, contudo, confirmou apenas 3 mil.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Passado

No evento de 2013 houve confronto entre a polícia e os participantes. Na ocasião, a organização afirmou que ter reunido 10 000 participantes. A polícia alega que apenas mil aderiram ao evento. A primeira caminhada em São Paulo ocorreu em 2008, no Parque do Ibirapuera. Sob a justificativa de que fazia apologia às drogas, até 2011, os atos eram proibidos pelo Tribunal de Justiça.

Fonte: VEJA SÃO PAULO