Perfil

Marcelo Duarte: o caçador de endereços curiosos

Jornalista é autor de livro que traz mais de 1 000 lugares inusitados e surpreendentes de São Paulo

Por: Alessandro Duarte - Atualizado em

Quer levar o cãozinho para aulas de natação? Comprar um pingüim de geladeira? Aprender como se faz a cerimônia do chá japonesa? Encomendar um bolo de onde saia uma loira fatal? Pergunte ao jornalista e escritor Marcelo Duarte. Nos últimos sete anos, ele se especializou em encontrar – e indicar – lugares onde o paulistano pode satisfazer seus desejos mais esdrúxulos. Tanto que já reuniu mais de 1 000 deles. Depois de ter lançado anteriormente dois guias na mesma linha, ele atualizou seu arquivo e escreveu 1075 Endereços Curiosos de São Paulo (Panda Books, 496 páginas, 39,90 reais), que chega às livrarias nesta semana (veja alguns deles no quadro. "Por sorte, finalizamos o livro enquanto eu estava na Alemanha, fazendo reportagens para a cobertura da Copa do Mundo", afirma Duarte. "Do contrário, todo dia apareceria um endereço novo e eu não entregaria os originais nunca."

O paulistano Marcelo Duarte, 41 anos, coleciona esse tipo de material desde o início da década de 90, quando era editor de Veja São Paulo. O filme Instinto Selvagem havia acabado de chegar aos cinemas e ele tentou encontrar na cidade um lugar que vendesse picador de gelo – para quem não se lembra da trama, era com um deles que uma misteriosa loira assassinava seus amantes. Duarte não foi bem-sucedido na busca, mas tomou gosto pela coisa. De lá para cá, passou a guardar um sem-número de notas de jornais e revistas, além de sugestões de amigos, leitores e comerciantes interessados em divulgar seu negócio. No carro, mantém bloco e caneta sempre a postos para registrar telefones e endereços de serviços que vê na rua e que possam vir a ser incluídos em seus guias. O bloco, aliás, é uma aquisição recente. Até pouco tempo atrás, ele anotava tudo em papeizinhos que depois jogava em uma pasta. "Comprei um palmtop para o Marcelo, mas ele não se adaptou", diz sua mulher, a diretora de TV Maísa Zakzuk. "Só usa como agenda telefônica."

Dono da editora Panda Books – cujo maior sucesso é O Doce Veneno do Escorpião, da ex-garota de programa Bruna Surfistinha, que já vendeu 140.000 exemplares e está há 38 semanas na lista de mais vendidos de VEJA –, Marcelo Duarte tem uma coluna diária no Jornal da Tarde e programas no canal de esportes ESPN Brasil e nas rádios Band News FM e Bandeirantes FM e AM. É autor também da série O Guia dos Curiosos, espécie de almanaque com uma infinidade de verbetes sobre os mais diversos assuntos. Cultura inútil é mesmo sua paixão. Na última Copa do Mundo, por exemplo, ele esquivou-se de assistir às partidas da seleção ou entrevistar jogadores. Sua missão na Alemanha era descobrir histórias pitorescas. Visitou uma fazenda de camelos, tomou a cerveja com o maior teor alcoólico do mundo (25,4º) e conheceu criadores de cachorros da raça pastor alemão. "Agora começo a colecionar histórias curiosas sobre a China e a África do Sul", conta, de olho nas Olimpíadas de 2008 e na Copa de 2010.

Que tal um banho de saquê?

• Arcos para violino com crina de cavalo siberiano. Segundo o luthier Paulo Makoto Yamaguchi, o frio da Sibéria faz com que a crina dos cavalos de lá seja mais elástica e resistente. Na fabricação dos arcos, ele usa pau-brasil. Rua Professor Luís Pardini, 71, Cidade Ademar, fone: 5677-2933.

• Banco de sangue para cães. O Hospital Veterinário da Universidade Anhembi-Morumbi atende totós vítimas de atropelamentos, intoxicações e doenças que necessitem de transfusões. Doações são bem-vindas. Rua Conselheiro Lafaiete, 64, Brás, fone: 6090-4693.

• Banho de ofurô com saquê. Para a terapeuta Júlia Kimie, a bebida fermentada à base de arroz ajuda a ativar a circulação e liberar toxinas. Kimie Massagem Terapêutica, Calçada Aldebarã, 160, 1º andar, Centro de Apoio II, Alphaville, fone: 4153-7167.

• Biscoito da sorte personalizado. Nada daquelas frases esquisitas, que parecem não servir para ninguém. A Hakuna Matata produz biscoitos chineses com mensagens personalizadas. Rua Alvarenga Peixoto, 234, Vila Anastácio, fone: 3832-0692.

• Bolo com surpresa. A Criação e Arte Eventos e Fantasias faz shows em que personagens saem de dentro de bolos. Rua Thomaz Ramos Jordão, 355, Freguesia do Ó, fone: 3991-9315.

• Cerimônia do chá japonesa. O Centro de Chado Urasenke do Brasil dá cursos sobre o ritual, que pode demorar até quatro horas. São necessários seis meses de aula – uma vez por semana – para aprender a etiqueta e a simbologia da cerimônia. Rua São Joaquim, 381, 4º andar, sala 44, Liberdade, fone: 3208-5485 e 3815-3641.

• Lençóis com contos de fada. A Roupa da Venda investe na idéia de que a criançada adora dormir ao lado dos personagens das histórias que os pais contam a elas. Rua Turi, 213, Vila Madalena, fone: 3462-2025.

• Manequins de animais de estimação. O empresário Fábio Gubeissi fabrica bonecos de fibra de vidro para pet shops e feiras. Donos podem enviar fotos de seus bichinhos e encomendar réplicas. Dog Models, Praça Costa Barbosa, 40, Aclimação, fone: 5083-3308.

• Peças para completar faqueiro. Falta um garfo daquele faqueiro lindo? A Robles promete fabricar qualquer peça de prata de lei. Alameda Itu, 1598, Cerqueira César, fone: 3082-4334.

• Presentes diferentões. Na loja do estilista Fábio Barreto estão à venda desde pingüins de geladeira até canecas com a foto do cantor Elvis Presley, além de baldes de gelo em formato de bola de golfe. Agá Presentes, Rua Fradique Coutinho, 1111, Vila Madalena, fone: 3812-1910.

Fonte: VEJA SÃO PAULO