Mistérios da Cidade

Mapa dos rios soterrados

Por causa do intenso processo de urbanização, os rios da capital foram soterrados pela abertura de ruas e avenidas 

Por: Gabriel Bentley e Mariana Oliveira

Avenida Faria Lima
Urbanização: intenso processo fez os rios daqui a ser soterrados  (Foto: Germano Luders )

O acelerado processo de urbanização da capital no começo do século passado levou muitos rios daqui a ser soterrados pela abertura de ruase avenidas. Para mapear a localização dessas antigas nascentes, surgiram nos últimos tempos algumas iniciativas, como Existe Água em SP, Rios (In)visíveis e Rios & Ruas. Essa última chegou a identificar 300 casos do tipo e realizou intervenções para indicar os pontos exatos por onde eles passavam originalmente. Confira abaixo alguns dos cursos que perderam espaço para importantes vias da metrópole.

+ Livro faz tradução do 'carioquês' para o 'paulistanês' 

Córrego Água Espraiada — Avenida Jornalista Roberto Marinho

Córrego Pirajuçara — Avenida Eliseu de Almeida

Córrego da Traição — Avenida dos Bandeirantes

Ribeirão Verde — Avenida General Edgar Facó

Córrego do Iguatemi — Avenida Brigadeiro Faria Lima (foto)

Córrego do Sapateiro — Avenida 23 de Maio

Córrego da Mooca — Avenida Prof. Luiz Ignácio Anhaia Mello

Córrego do Tatuapé — Avenida Salim Farah Maluf

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO