Consumo

Luminárias criam ambiente de ficção científica na Vila Madalena

Peças produzidas usam materiais que não são convencionais, como garrafas PET e fruteiras

Por: Jussara Soares

lojas curiosas
Norma Kikuti, sócia da Solar Iluminação e mulher do designer Tom Green, criador das luminárias feitas a partir de materiais inusitados (Foto: Fernando Moraes)

O expediente termina às 20 horas, mas as luzes das vitrines da Solar Iluminação, na Vila Madalena, continuam atraindo a atenção de quem passa pela calçada da Rua Inácio Pereira da Rocha quase até o fim da noite, quando tudo é desligado. “A ideia era criar uma fachada que lembrasse uma galeria”, explica Norma Kikuti, sócia da loja e mulher do designer inglês Tom Green, o outro proprietário.

No interior do endereço, podem ser encontradas cerca de 200 luminárias, incluindo algumas feitas com materiais pouco comuns, como garrafas PET.  Em outro canto, é possível ver um disco voador montado com duas fruteiras. Uma cortina prateada ao fundo torna a decoração ainda mais inusitada. “Parece coisa de ficção científica”, brinca Green.

O preço dos produtos vai de 35 a 350 reais. Entre os artigos mais procurados estão as luminárias no estilo lava-luz. Possuem formato cilíndrico e, dentro delas, bolhas coloridas flutuam na água. Elas  surgiram nos anos 60 e fizeram sucesso graças ao ar futurista. Hoje ainda vendem bem na esteira da onda retrô.

Tudo começou em 1998, quando Green desembarcou em São Paulo disposto a vender por aqui essas peças. O negócio foi bem e, um ano depois, ele decidiu abrir a loja que mudou a vida de Norma. Em 2002, a então estudante de design foi conhecer o lugar como cliente. Durante a visita, o proprietário se encantou com ela e a convidou para sair. Estão juntos desde então. Casaram-se no mesmo ano e passaram a dividir também a administração do  estabelecimento.

 

Serviço

Rua Inácio Pereira da Rocha, 172, Vila Madalena, ☎ 3814-3799. www.solar.net.br

Fonte: VEJA SÃO PAULO